Nem Copa nem Dia dos Namorados conseguem aquecer mercado varejista

  •  
Expectativa de crescimento do setor é de apenas 3% neste mês Divulgação Expectativa de crescimento do setor é de apenas 3% neste mês

A Copa do Mundo já vem movimentando milhões e, com a estréia do evento coincidindo com o Dia dos Namorados, a expectativa de crescimento nas vendas por parte dos lojistas era bem diferente do que ocorre no cenário do varejo atual. A perspectiva é que o comércio alavanque em 3% as vendas em junho, em comparação ao mesmo período do ano passado, de acordo com a Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

O presidente do instituto, Rogério Armato, garante que, esse mês não poderia apresentar outros resultados, já que nos anteriores o comércio varejista cresceu numa média de 2% a 3% ao mês. Ele classifica o andar da situação como razoável. Segundo aferição promovida pelo Balanço de Vendas da ASPC, o acumulado nas vendas, registrado em 2013, apresentou elevação de apenas 3%, o que significa que nem o Dia dos Namorados, tampouco o Mundial conseguirão aquecer o mercado, como estava previsto.
Ainda de acordo com Armato, os fatores que possivelmente explicam valores maiores em 2013, com relação ao crescimento da economia e a diminuição das vendas no mercado do varejo,são as altas taxas inflacionárias, as quais reduzem o poder de compra, além da maior dificuldade de obter crédito. Somado a isso, também corroboram para isso, juros altos e um registro de menor crescimento da renda.
Em razão desses entraves, muitas redes grandes do setor e lojas menores optam por fazer campanhas visando a antecipação da comemoração do Dia dos Namorados. "O comerciante precisa se adaptar. E, em especial, o pequeno empreendedor, que precisa ser ágil e rápido, para aproveitar oportunidades e não perder a venda. Se não fizer isso, não sobrevive", ressalta o presidente da ASCP.

 

(Redação- Agência IN)