Movida anuncia programa de recompra de ações

  •  
Movida anuncia programa de recompra de ações (Foto: Divulgação) Movida anuncia programa de recompra de ações

A Movida Participações anunciou que o Conselho de Administração aprovou o Programa de Recompra de Ações de emissão da Companhia. O Programa de Recompra de Ações tem por objetivo a maximização de valor ao acionista, sem redução do capital social, sendo as ações adquiridas utilizadas para manutenção em tesouraria, cancelamento, alienação e/ou para atender o eventual exercício de opções no âmbito da remuneração baseada em ações. A recompra de ações implicará no aumento da participação dos acionistas nos eventuais dividendos e juros sobre capital próprio distribuídos pela Companhia.

Em 08 de dezembro de 2017, existem 73.421.957 ações ordinárias, nominativas, escriturais e sem valor nominal, em circulação no mercado, conforme definição do artigo 8º, § 3º, I, da ICVM 567/2015; e a Companhia poderá adquirir até 7 milhões de ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal, de sua própria emissão, representativas de aproximadamente 9,53% do total de ações da Companhia em circulação no mercado, respeitando, a manutenção de um percentual mínimo de Ações em Circulação de 25%, conforme definido no Regulamento de Listagem do Novo Mercado, sendo certo que a efetiva recompra do número total de ações aprovado neste ato dependerá, dentre outros aspectos, do saldo das reservas disponíveis, de modo a atender aos limites previstos no artigo 8.º da ICVM 567/2015 e demais normas aplicáveis.

A liquidação das operações de compra de ações será realizada no prazo máximo de 18 (dezoito) meses contados da aprovação do Programa de Recompra de Ações, com início em 11 de dezembro de 2017 e término em 10 de junho de 2019.

As operações de compra das ações nos termos do Programa de Recompra de Ações serão suportadas pelo montante global das reservas de lucro e de capital disponíveis, constantes das últimas demonstrações financeiras da Companhia divulgadas anteriormente à efetiva transferência, para a Companhia, da propriedade das ações de sua emissão, podendo ser anuais ou informações financeiras intermediárias, observado o disposto na ICVM 567/2015.

(Redação - Investimentos e Notícias)