Marcas mais citadas nas redes não são patrocinadoras da Copa

  •  
Coca-Cola ficou em primeiro lugar no ranking das redes sociais Divulgação Coca-Cola ficou em primeiro lugar no ranking das redes sociais

A plataforma pública “Apita Brasil”, que mostra em tempo real tudo o que se fala sobre a Copa do Mundo, realizou uma análise, na qual observou que as marcas mais citadas nas redes destacam-se aquelas que patrocinam Seleções, principalmente a brasileira, assim como as empresas que apóiam a FIFA, em detrimento das companhias que optaram por patrocinar apenas o Mundial. Um ponto que ficou nítido, independente de fatores como visibilidade e investimento, é que a imagem da nossa Seleção está muito mais positiva e livre de polêmicas do que a Copa do Mundo e, principalmente em relação a FIFA. É possível concluir que as marcas que preferiram investir na Seleção, e guardar uma verba para a produção de ações específicas durante o evento, tomaram uma decisão mais sensata.


Estão tendo mais vantagens pelas redes aquelas empresas que construíram seus QGs para promover a conversa, bem como a produção de iniciativas de comunicação em tempo real durante as partidas do Mundial. As quatro primeiras do ranking, Coca-Cola, Adidas, Itaú e Nike, pelo menos, declararam que estão utilizando mecanismos de monitoramento para acompanhar os diálogos em torno do evento e das suas marcas para conseguir se inserir de maneira mais autêntica e relevante.

Em função disso, algumas empresas têm conquistado verdadeiras declarações de amor aos comerciais produzidos especialmente para a Copa do Mundo, em especial para os jingles que estão sendo frequentemente escolhidos como melhores do que a própria música do evento.

O “Apita Brasil” é alimentado automaticamente pelos comentários relacionados ao Mundial no Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e Google+.

(Redação- Agência IN)