Mais importante que empreender é saber gerir, aponta especialista

  •  
Mais importante que empreender é saber gerir, aponta especialista Divulgação

O número de empreendimentos no Brasil vem crescendo de forma bastante positiva, e isso se deve principalmente ao fato do povo no nosso país ter uma forte veia para empreender. Dados recentes do Sebrae indicam que há, aqui, 6,3 milhões de organizações. Destas, 99% são micro e pequenas empresas e os negócios de pequeno porte, sejam eles informais ou não, somam mais de dois terços no que se refere as companhias do setor privado.

Valores estes só nos mostram, de acordo com Fernanda Spadoni, diretora da empresa especializada em gestão de contabilidade, que a tendência é um crescimento cada vez maior, até mesmo por conta das características do novo empreendedor brasileiro, como já descrito acima. O fator que mais corrobora, entretanto, para o fracasso de um novo negócio é a falta de organização. Isso significa que empreender é importante, mas saber estabelecer as estratégias e metas de forma planejada é mais fundamental ainda para que o processo ocorra de forma bem sucedida. Fernanda explica que, de início, a pessoa ainda não possui conhecimento suficiente do que é realmente ser um gestor.
Atualmente, como reitera a diretora, não há mais como empreender, seja em qual segmento de atuação for, sem a contabilidade. O profissional contábil não é mais aquele que fica em uma sala fechada o tempo todo, guardando livros e fazendo diversos cálculos. Portanto, podemos aferir que o papel da contabilidade está muito mais amplo do que há uns anos atrás. “Precisamos estar muito próximos das operações das empresas e participar ativamente do que acontece com elas, facilitando a tomada de decisões, principalmente as que impactam no caixa. Afinal, ninguém quer perder dinheiro”, finaliza Fernanda.
Como tudo hoje está ligado ao universo tecnológico, é necessário que a pessoa esteja atenta e procure parceiros que estejam conectados a esta esfera. Não que o papel tenha deixado de ter sua relevância porém, a informatização também vai para os campos contábeis e fiscais, exigindo do profissional softawares e hardwares, os quais precisam estar constantemente atualizados.

(Redação- Agência IN)