Lucro líquido do Grupo ABB soma US$ 603 mi no 3T18

  •  
Lucro líquido do Grupo ABB soma US$ 603 mi no 3T18 Foto: Divulgação

O Grupo ABB divulgou nesta quinta-feira, 25, os resultados financeiros globais do terceiro trimestre de 2018. De acordo com a companhia, o total de pedidos cresceu 9% (10% em dólares americanos), em todas as divisões e regiões em comparação com o ano anterior. Os pedidos de base (classificados como pedidos abaixo de US$ 15 milhões) aumentaram 7% (12% em dólares), em todas as divisões e regiões e apoiadas pela abrangente oferta digital da ABB, o ABB Ability. As grandes encomendas representaram 7% do total de pedidos, em comparação com 9% no mesmo trimestre de 2017. E a carteira de pedidos aumentou 2% (em dólares) em comparação com o ano anterior.

Os pedidos relacionados a área de Serviços aumentaram 8% (10% em dólares americanos). As ordens de serviço representam 18% do total de pedidos, em comparação com 18% no mesmo período do ano anterior.

As mudanças no portfólio de negócios, incluindo a influência da aquisição da GE Industrial Solutions, resultaram em um impacto líquido positivo de 4% no total dos pedidos reportados. Os efeitos de conversão cambial tiveram um impacto negativo de 3% nos pedidos reportados.

No trimestre, a ABB assistiu uma demanda sólida de todas as regiões:

O total de pedidos da Europa aumentou 15% (10% em dólares americanos), com contribuições positivas da Alemanha, Itália, Suécia e Suíça, superando as contribuições mais baixas do Reino Unido e da Rússia. Os pedidos de base aumentaram 6% (7% em dólares americanos).

O total de pedidos das Américas aumentou 9% (23% em dólares americanos). As encomendas nos Estados Unidos cresceram 10% (31% em dólares) e também foram maiores no Brasil. Os pedidos de base das Américas aumentaram 9% (24% em dólares americanos).

Na Ásia, Oriente Médio e África (AMEA), o total de pedidos cresceu 4% (1% menor em dólares americanos), com fortes encomendas da China, Índia, Vietnã e Egito, sendo diminuídas pela menor demanda da Coreia do Sul, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos. Na China, o total de pedidos aumentou 13% (15% em dólares americanos). Os pedidos de base para a AMEA aumentaram 5% (7% em dólares americanos).

A demanda cresceu na maioria dos segmentos dos principais clientes da ABB:

A demanda das concessionárias de serviços foi robusta no terceiro trimestre. Os investimentos foram impulsionados pela integração de energias renováveis ​​na rede, soluções digitais para redes mais inteligentes e foco crescente em eficiência e confiabilidade. No trimestre, um pedido significativo foi recebido para permitir a integração e a transmissão de Corrente Contínua de Alta Tensão (HVDC) de energia hidrelétrica limpa em toda a Ásia Central.

Uma demanda sólida foi observada em um amplo espectro de indústrias durante o trimestre. Os investimentos das indústrias de processo, incluindo mineração, e petróleo e gás continuaram, enquanto os pedidos de setores diferentes, como alimentos e bebidas, foram fortes. A demanda foi forte para soluções de robótica e automação, inclusive da indústria automobilística.

A demanda por transporte e infraestrutura foi positiva, com os investimentos nos data centers crescendo bem e com investimentos contínuos em ferrovias e na especialidade de navios marítimos. A demanda por construção foi robusta, com investimentos em prédios comerciais, como hospitais e resorts.

As receitas cresceram 3% (6% em dólares americanos), apoiadas por um forte crescimento contínuo na divisão de negócios Robotics and Motion e boa dinâmica nas divisões Electrification Products e Industrial Automation, enquanto as receitas em Power Grids se mantiveram estáveis. As receitas de serviços aumentaram 11% (14% em dólares americanos), impulsionadas pelo portfólio digital líder da ABB, as soluções do ABB Ability™. Os serviços representaram 18% da receita total, acima dos 17% do mesmo período do ano anterior.

As mudanças no portfólio de negócios, incluindo o impacto da aquisição da GE Industrial Solutions, contribuíram para um resultado líquido positivo de 6% em relação às receitas reportadas. As mudanças nas taxas de câmbio resultaram em um impacto na conversão das receitas reportadas de menos 3%.

A relação book-to-bill aumentou para 0,97x no final do trimestre em comparação com 0,94x no ano anterior.

No terceiro trimestre, o EBITA operacional de US$ 1,118 milhão ficou estável em dólares americanos (aumento de 4% em moeda local) em comparação com o mesmo período do ano anterior. A margem do EBITA operacional de 12,1% foi impactada em 80 pontos-base pela aquisição da GE Industrial Solutions (GEIS) e também incluiu um impacto de 40 pontos base de uma cobrança relacionada ao negócio não essencial legado de retrofits de trens.

O lucro líquido foi de US $ 603 milhões, 6% maior de um ano para outro. O lucro líquido operacional da ABB2 ficou estável em US $ 727 milhões. O lucro básico por ação de $ 0,28 foi 6% maior de um ano para outro. O lucro operacional por ação de US $0,34 ficou estável e 4% melhor em termos de moeda constante3.

O resultado do fluxo de caixa das atividades operacionais é de $ 565 milhões, em comparação com $ 954 milhões no terceiro trimestre de 2017. Em relação a um ano atrás, o fluxo de caixa reflete reduções nas contas a pagar por ocasião do pagamento de impostos, bem como nos estoques e recebíveis mais altos devido ao impulso no aumento de pedidos e da receita. Espera-se que a entrega de caixa para o ano inteiro seja sólida, ao mesmo tempo em que reflete o capital de giro mais alto em apoio ao crescimento e devido ao impulso dos fluxos de caixa de projetos que também são impactados pela mudança do modelo de negócios EPC.

A ABB tem executado sua estratégia Next Level desde 2014 por meio de três áreas foco: crescimento rentável, execução rigorosa e colaboração orientada aos negócios.

O ABB Ability, a oferta de soluções digitais industriais líder de mercado, continua a impulsionar o crescimento da ABB dentro de suas quatro divisões de negócio. Durante o trimestre, as soluções do ABB Ability™ foram reconhecidas como líderes globais em Sistemas de Controle Distribuído e software de Enterprise Asset Management.

As grandes encomendas recebidas no trimestre incluíram um pedido substancial para fornecer estações conversoras HVDC que transmitirão energia renovável do Quirguistão e Tajiquistão para o Paquistão, e mais de US $ 100 milhões em pedidos para fornecer equipamento de tração de última geração para a fabricante de trens suíços Stadler.

A ABB continua a mudar seu centro de gravidade por meio do gerenciamento contínuo de portfólio, levando a uma maior competitividade, maior crescimento e menor risco. Em setembro, a ABB adquiriu a Intrion, com sede em Benelux. A transação vai fazer avançar a oferta de robótica logística da ABB, para ganhar uma posição mais forte em um mercado que a Federação Internacional de Robótica tem expectativa de crescer a uma taxa anual de 20 a 25% de 2018 a 2020. Em agosto, a ABB vendeu seu negócio de blocos terminais de acordo com seu contínuo gerenciamento ativo de portfólio.

A aquisição da GEIS foi concluída em 30 de junho de 2018. Espera-se que a integração deste negócio, agora em andamento, tenha um impacto negativo de aproximadamente 30 pontos base nas margens do EBITA do Grupo ABB para todo o ano de 2018 e, aproximadamente, 130 pontos na margem EBITA operacional de Electrification Products (EP). A ABB pretende trazer a margem para a divisão EP, após o efeito inicial de diminuição, de volta para sua meta de margem de EBITA operacional de 15 a 19%, em 2020.

(Redação - Investimentos e Notícias)