Lucro Líquido da Unipar cai 19% no 2T17

  •  
Lucro Líquido da Unipar cai 19% no 2T17 (Foto: Divulgação) Lucro Líquido da Unipar cai 19% no 2T17

O Lucro Líquido consolidado da Unipar Carbocloro foi de R$ 26,8 milhões no segundo trimestre de 2017 (2T17), 19% inferior a 1T17, explicado principalmente pelo resultado negativo de equivalência patrimonial compensado pelo melhor desempenho operacional. O Lucro Líquido da Controladora foi de R$ 25,4 milhões no 2T17, 26% inferior ao 1T17 (R$ 34,5 milhões), explicado principalmente pelo resultado negativo de equivalência patrimonial e pelo reconhecimento em 1T17 da reversão da provisão atuarial devido mudança de política interna da Companhia.

O EBITDA consolidado no 2T17 foi de R$ 132,9 milhões, 41% superior ao 1T17. O EBITDA da Controladora no 2T17 foi de R$ 70,9 milhões, 20% superior a 2T16. Tais variações são justificadas pelo melhor desempenho operacional compensado pelo impacto negativo do resultado de equivalência patrimonial. Quando comparado ao 1T17, foi 22% inferior, variação explicada pelo impacto negativo do resultado de equivalência patrimonial.

O Resultado Financeiro Líquido Consolidado foi negativo no valor de R$ 33,0 milhões no 2T17, 183% superior ao 1T17 explicada principalmente pela variação cambial negativa referente ao débito com a Solvay Vinyls Holding A.G. relacionada com a aquisição da Controlada e compensada pela reestruturação da dívida da Controlada. O Resultado Financeiro Líquido da Controladora foi negativo no valor de R$ 3,1 milhões no 2T17, 67% inferior ao 1T17 e 88% inferior ao 2T16. Tais variações são justificadas principalmente pela redução da dívida líquida.

A receita operacional líquida consolidada no 2T17 foi de R$ 741,6 milhões, 3% superior ao 1T17, explicada principalmente por maior volume de vendas na Controlada e pelo aumento dos preços médios de venda, influenciados pelo aumento no preço de soda no mercado internacional. A receita operacional líquida da Controladora no 2T17 foi de R$ 239,2 milhões, em linha ao 1T17, explicada principalmente pelo aumento dos preços médios de venda, influenciados pelo aumento no preço de soda no mercado internacional, compensado pela pelo menor volume de vendas.

(Redação – Agência IN)