Lucro Líquido da BB Seguridade alcança R$5,5 bilhões

  •  
Lucro Líquido da BB Seguridade alcança R$5,5 bilhões (Foto:Divulgação) Lucro Líquido da BB Seguridade alcança R$5,5 bilhões

A BB Seguridade reportou lucro líquido de R$5,5 bilhões no acumulado dos nove primeiros meses do ano. O montante contempla o ganho líquido de R$2,3 bilhões decorrente do desinvestimento no IRB Brasil-RE (“IRB”), realizado em julho deste ano. Descontando o resultado da oferta de ações do IRB, o lucro líquido ajustado no período acumulado até setembro foi de R$3,2 bilhões, o que representa um crescimento de 17,1% em relação ao lucro líquido ajustado reportado no mesmo período de 2018.

O desempenho é consequência tanto da evolução do resultado operacional combinado das empresas do grupo, que cresceu 15,4%, como do resultado financeiro combinado, que evoluiu 24,9%. O resultado dos primeiros nove meses de 2019 levou a Companhia a superar todos os guidances divulgados ao mercado. Considerando as suas projeções atualizadas para o 4T19, a BB Seguridade decidiu revisar sua estimativa de crescimento do lucro líquido ajustado, que agora passa a ser de 13,0% a 17,0%, ante intervalo de 8,0% a 13,0%.

A emissão de prêmios de seguros no canal bancário, considerando a estrutura atual da Brasilseg, cresceu 16,0% no acumulado até setembro, impulsionada pelo crescimento de 69,0% dos prêmios de seguro prestamista, aliado às evoluções nos seguros de vida (+5,5%), rural (+10,3%) e habitacional (+7,3%). Como consequência, a Companhia também superou suas projeções de crescimento de prêmio emitido de 10,0% a 15,0%.

O volume de contribuições de previdência cresceu 29,5% nos nove primeiros meses de 2019, com aumento das contribuições médias e adição de 227 mil planos ao estoque em 12 meses. Tal crescimento somado ao índice de resgate no menor patamar da série histórica (7,0%), fez com que a captação líquida mais do que dobrasse no período. Estes fatores, em conjunto com o elevado retorno dos fundos de previdência, levaram as reservas a um crescimento de 13,8%, alcançando o saldo de R$282,2 bilhões ao final de setembro, superando o intervalo projetado de 9,0% a 12,0%.

Por fim, a arrecadação com títulos de capitalização evoluiu 11,2% no acumulado dos nove primeiros meses do ano, resultado do crescimento na arrecadação média. Ao final de setembro de 2019, as reservas de capitalização alcançaram o saldo de R$8,5 bilhões.

(Redação – Investimentos e Notícias)