Lucro bruto da Taurus atinge R$ 307,6 milhões em 2018

  •  
Lucro bruto da Taurus atinge R$ 307,6 milhões em 2018 Foto: Divulgação

A Taurus, uma das maiores fabricantes de armas do mundo, mais que triplicou o lucro bruto em 2018, atingindo R$ 307,6 milhões e margem bruta de 36,4%, número superior à de empresas estrangeiras de capital aberto do setor. Os resultados de 2018 foram divulgados ao mercado nesta sexta-feira (29).

Segundo o presidente da Taurus, Salesio Nuhs, esse crescimento foi obtido devido a mudança estrutural da Companhia e não por aumento de preço. Em termos operacionais, a Taurus adotou processos eficientes e robustos, atuando de forma intensa na renovação do portfólio. Foram 32 modelos de armas lançados, cujas vendas representaram mais de 60% do faturamento com armas no ano. Toda a linha de armas leves foi atualizada de acordo com os novos protocolos de desenvolvimento e a produção de modelos com rentabilidade negativa foi encerrada.

Além disso, a empresa contratou a Galeazzi, uma consultoria especializada, para implantar um forte plano de reestruturação de processos produtivos e administrativos.

Excluindo despesas não recorrentes relacionadas a acordo legal referente a processo nos EUA trazido de anos anteriores, a Taurus alcançou o Ebitda ajustado positivo de R$ 116 milhões, com margem de 14%, revertendo a posição negativa de 2017 e sendo superior à média do seguimento mundial.

No mercado interno, o aumento de 43,7% do volume de vendas em 2018 comparado a 2017 permite identificar, de forma mais contundente, a retomada da credibilidade pela marca, a partir do esforço empreendido em termos de cuidado com a qualidade, a revisão dos processos produtivos e o lançamento de produtos inovadores e de qualidade. "Reconquistamos a credibilidade dos consumidores, que responderam de forma muito positiva à qualidade dos produtos e à diversidade do portfólio", ressalta Nuhs.

A Taurus também vem empreendendo esforços comerciais no sentido de ampliar sua atuação em outros mercados internacionais, além dos EUA. A partir de autorizações obtidas no Ministério das Relações Exteriores e a realização de forte trabalho de compliance de modo a atender as exigências estabelecidas, a empresa vem obtendo sucesso em ampliar seus mercados, com destaque para vendas realizadas em países do Oriente Médio e Ásia em 2018.

A receita consolidada cresceu no Brasil, nos EUA e nos outros países que a Taurus exporta, atingindo R$ 845 milhões, 22% a mais do que em 2017. Além disso, com o revólver Taurus Raging Hunter, a empresa ganhou mais uma importante premiação internacional, o American Handgun of the Year 2019.

No decorrer dos quatro trimestres de 2018, foi mantida a tendência de evolução positiva da receita em comparação com os mesmos períodos do ano anterior. No 4T18, a receita operacional líquida foi de R$ 221,8 milhões, com alta de 40,6%. As vendas de armas de final de ano nos EUA, considerando as promoções de "black friday" naquele país, e a boa aceitação dos lançamentos foram os principais fatores que contribuíram para tal desempenho. Também favoreceu o desempenho, o efeito positivo da desvalorização cambial do real frente ao dólar norte-americano sobre as vendas no mercado externo, considerando que a maior parte da receita da Companhia é realizada em moeda estrangeira.

Em 2019, a Taurus iniciou o processo de mudança da unidade nos EUA da Flórida para o Estado da Georgia, onde irá dobrar a capacidade de produção nesse país para 800 mil armas por ano.

Ainda no âmbito internacional, em fevereiro de 2019, a Taurus assinou um memorando de entendimentos (MoU) visando a constituição de joint venture na Índia para a fabricação e comercialização de armas no país cuja população, atualmente, é de 1,37 bilhão de pessoas e, portanto, conta com forças policiais e militares de grande efetivo.

A renegociação do endividamento da Taurus alongou o prazo de vencimento e reduziu a taxa média de juros em 2018. Foi também definida a alienação da operação de capacetes, além do terreno da antiga sede da Companhia em Porto Alegre com valor contábil de aproximadamente R$ 50 milhões. O caixa gerado com a venda dos ativos será utilizado para redução do endividamento.

No processo de aumento do capital, praticamente a totalidade dos 74 milhões de bônus de subscrição disponibilizados foi vendida, com a entrada de R$ 9,9 milhões em recursos para a Taurus. A conversão de bônus em novas ações representará aumento de capital de até R$ 390 milhões, o que também permitirá reduzir a dívida e, ainda, reforçar o caixa da Companhia.

"O ano de 2018 foi especial para a nova gestão da empresa. Chegou a nos surpreender positivamente, mesmo com a certeza de que nossas ações foram estruturais, o que garantiriam o crescimento sustentável da Companhia. Ainda assim, os números foram extraordinários, o que na minha opinião demonstra a dedicação dos nossos colaboradores e o compromisso com a nova Taurus. Estamos em uma nova fase. Acreditamos que nosso País vai crescer, e a Taurus também", afirma Salesio Nuhs.

Para outras informações, acesse em www.taurusri.com.br os documentos enviados à CVM - Comissão de Valores Mobiliários e ao mercado.

(Redação - Investimentos e Notícias)