Lanxess registra fortes resultados em 2018

  •  
Lanxess registra fortes resultados em 2018 Foto: Divulgação Lanxess registra fortes resultados em 2018

A empresa de especialidades químicas Lanxess fechou o ano fiscal com fortes resultados. Em 2018, o EBITDA sem considerar itens excepcionais registrou um aumento de 9,8%, alcançando 1,016 bilhão de euros. A previsão é de que os lucros fiquem na extremidade superior do intervalo entre 5% a 10%, valor acima do resultado do ano anterior de 925 milhões de euros (sem Arlanxeo).

"Apesar das crescentes adversidades, cumprimos nossas promessas. Tivemos ótimos avanços estratégicos e operacionais: A Lanxess agora tem um foco muito claro em produtos químicos especiais. Hoje, somos mais rentáveis, mais estáveis e mais competitivos do que nunca – e isso está gerando resultados", afirma Matthias Zachert, presidente do Conselho de Administração da Lanxess AG.

Os bons resultados operacionais foram impulsionados, em especial, pela força dos segmentos de Intermediários Avançados, Aditivos Especiais e Materiais de Engenharia, bem como pela integração da Chemtura e dos negócios de aditivos de fósforo adquiridos da Solvay. A margem EBITDA, sem considerar itens excepcionais, chegou a 14,1%.

As vendas do grupo Lanxess cresceram 10,2%, de 6,53 bilhões de euros no ano anterior para 7,197 bilhões de euros. Registrando 431 milhões de euros, o lucro líquido foi consideravelmente maior do que os números do ano anterior que totalizaram 87 milhões de euros. O crescimento foi devido aos melhores resultados operacionais na comparação ano a ano e também aos efeitos da venda de 50% na participação da Arlanxeo. Além disso, o lucro líquido do ano passado foi menor por conta de despesas extraordinárias.

Dividendos devem crescer novamente

O exercício bem-sucedido de 2018 também deve pagar dividendos aos acionistas da Lanxess. O Conselho de Administração e o Conselho Fiscal vão propor dividendos no valor de 0,90 de euro por ação na reunião anual de acionistas em 23 de maio de 2019. O valor será 12,5% maior mais do que o do ano passado.

Marco estratégico em 2018: conclusão da venda dos negócios de borracha
Com o encerramento do ano fiscal de 2018, a Lanxess alcançou outro marco em seu realinhamento. Em 31 de dezembro, a empresa de produtos químicos especiais completou a venda dos 50% remanescentes das ações da empresa de borracha Arlanxeo ao seu antigo parceiro de joint-venture Saudi Aramco. As duas empresas fundaram a joint-venture em 1º de abril de 2016. A Lanxess recebeu recursos na ordem de 1,4 bilhão de euro por suas ações, dos quais já utilizou 200 milhões de euros para financiar ainda mais suas responsabilidades com pensão. Outra fatia de até 200 milhões de euros será designada à recompra de ações, que deve ser concluída até o final do ano fiscal corrente.

"Usamos os recursos da venda de nossas ações da Arlanxeo para fortalecer ainda mais nossa folha de balanço. Além disso, ganhamos uma margem adicional para impulsionar nosso crescimento tanto organicamente quanto por meio de aquisições", comenta Michael Pontzen, diretor financeiro da Lanxess AG.

Sólido desempenho em quase todos os segmentos
Os negócios operacionais do segmento de Intermediários Avançados registraram um sólido desempenho no ano fiscal de 2018, mesmo em um mercado agrícola persistentemente desafiador. As vendas totalizaram 2,207 bilhões de euros, um crescimento de 11,7% em relação ao patamar do ano anterior de 1,975 bilhões de euro. O EBITDA do segmento sem considerar itens excepcionais cresceu 7,2%, saindo de 335 milhões de euros para atingir 359 milhões de euros. A margem EBITDA sem considerar itens excepcionais foi de 16,3%, ligeiramente abaixo do nível de 17,0 registrado no ano passado.

No segmento de Aditivos Especiais, as vendas e os resultados operacionais registraram um aumento significativo devido à integração bem-sucedida da Chemtura e dos negócios da Solvay. As vendas totalizaram 1,98 bilhão de euro, um crescimento de 22,9% em relação ao total do ano anterior de 1,611 bilhão de euro. O EBITDA sem considerar itens excepcionais cresceu consideráveis 28,5%, de 267 milhões de euros para 343 milhões de euros. A margem EBITDA sem considerar itens excepcionais subiu de 16,6% para 17,3%.

No segmento de Produtos Químicos de Alta Performance, as vendas e o resultado operacional ficaram aquém do sólido ano anterior, devido, em particular, ao fraco desenvolvimento das indústrias de couro e construção. As vendas caíram 6,3%, de 1,439 bilhão de euro para 1,349 bilhões de euro. O EBITDA sem considerar itens excepcionais, totalizou 187 milhões de euros, uma queda de 25,8% em relação ao patamar do ano anterior, de 252 milhões de euros. A margem EBITDA sem considerar itens excepcionais atingiu 13,9%, contra 17,5% no ano passado.

O segmento de Materiais de Engenharia cresceu consideravelmente, tanto em vendas, quanto em termos de resultados operacionais, com base nos rentáveis negócios com plásticos para construção leve. O negócio de uretanos, que foi assumido como parte da aquisição da Chemtura, também deu uma contribuição positiva para os resultados. As vendas tiveram crescimento de 15,4%, passando de 1,366 bilhão de euros para 1,576 bilhão de euros. O EBITDA sem considerar itens excepcionais cresceu consideráveis 21,9%, de 219 milhões de euros para 267 milhões de euros. A margem EBITDA sem considerar itens excepcionais do segmento aumentou de 16,0% para 16,9%.

Em comparação com o ano anterior, os resultados de todos os segmentos foram afetados pelos efeitos negativos da taxa de câmbio, particularmente por conta do dólar mais fraco.

Perspectivas para 2019: no caminho, apesar da economia fraca
A Lanxess teve um começo sólido para o novo ano, apesar do enfraquecimento da economia. A empresa espera ter um EBITDA sem considerar itens excepcionais em 2019 em torno do mesmo nível do ano anterior.

A Lanxess especificará a previsão de lucro em 2019 quando apresentar seus resultados trimestrais, em 14 de maio de 2019.

(Redação - Investimentos e Notícias)