Kroton anuncia lucro líquido ajustado de R$ 561,8 mi no 2T16

  •  
Kroton anuncia lucro líquido ajustado de R$ 561,8 mi no 2T16 (Foto:Divulgação) Kroton anuncia lucro líquido ajustado de R$ 561,8 mi no 2T16

A Kroton anunciou hoje os resultados referentes ao segundo trimestre de 2016 (2T16). Com isso, o lucro líquido ajustado totalizou R$ 561,8 milhões no 2T16, 13,2% superior ao resultado pro forma verificado no mesmo período do ano passado. A margem líquida ajustada também apresentou um sólido aumento de 3,5 p.p. no período. No semestre, o lucro líquido ajustado pro forma alcançou um crescimento de 14,9% em relação ao pro forma do 1S15, atingindo R$ 1.052,5 milhões, com margem líquida ajustada de 40,2%.

O EBITDA ajustado alcançou R$ 632,6 milhões, apresentando um crescimento de 9,0% sobre o pro forma do 2T15. Já a margem EBITDA ajustada situou-se em 45,5%, evoluindo 233 basis points, ressaltando todos os esforços de eficiência operacional obtidos até o momento. No acumulado do ano, o EBITDA ajustado pro forma atingiu R$ 1.221,5 milhões, com uma margem de 46,7%. 

Em relação aos números do 2T16, a receita líquida aumentou 3,4% em relação ao pro forma do 2T15, devido, especialmente, ao aumento do número de alunos pagantes advindos dos processos de captação e de rematrículas realizados nos últimos ciclos, compensando a menor receita com Pronatec e LFG. Adicionalmente, vale pontuar que o resultado do 2T15 foi positivamente impactado por um reconhecimento acima do normal de rematrículas tardias em razão dos atrasos verificados no FIES no ano passado; sendo que em 2016 esse efeito se concentrou no 1T16, gerando uma menor concentração de matrículas tardias no 2T16. No 1S16, a receita líquida pro forma atingiu R$ 2.617,7 milhões.

Ao final do 2T16, o número de alunos de Ensino Superior (Graduação e Pós-graduação), considerando as modalidades Presencial e EAD, foi 1,6% inferior em comparação com o mesmo período do ano passado, devido ao impacto sofrido após os cortes nas vagas oferecidas no FIES nos processos seletivos de 2015 e 2016. A modalidade Presencial encerrou o trimestre representando uma participação de 45,0% do número total de alunos, enquanto a modalidade EAD foi responsável por 55,0% da base total de alunos.

(Redação – Agência IN)