Itaipu atinge marca contratual três meses antes do final do ano

Os 75 milhões de MWh foram atingidos na sexta-feira (23), com diferença de mais de 3 milhões de MWh em relação à maior marca da usina para o período. Foto: Divulgação Os 75 milhões de MWh foram atingidos na sexta-feira (23), com diferença de mais de 3 milhões de MWh em relação à maior marca da usina para o período.

A Itaipu Binacional atingiu na última sexta-feira (23), antes do meio-dia, a marca dos 75 milhões de megawatts-hora (MWh). O volume corresponde à energia garantida (vinculada) em contrato pela empresa. É a primeira vez na história que a usina cumpre toda a geração contratual já no mês de setembro. Geralmente essa produção anual só ocorre depois de outubro ou no início de novembro.

A energia vinculada de Itaipu (8.577 MW médios ou 75.340.368 MWh em um ano de 366 dias) é suficiente para atender a cidade de São Paulo ou o Estado do Paraná por dois anos e meio ou, ainda, o Brasil por cerca de dois meses.

Nesta segunda-feira (26), pela manhã, a binacional já gerava 76.020.061 MWh, ante 72.997.250 MWh no mesmo período de 2013, uma diferença de mais de 3 milhões de MWh em relação ao ano do recorde, quando produziu 98,6 milhões de MWh. Os dados reforçam cada vez mais a expectativa da diretoria de fechar 2016 com mais de 100 milhões de MWh.

O cenário de 2016 se mostra bastante promissor para a operação da usina. Desde o início de janeiro, a Itaipu vem batendo sucessivos recordes diários, mensais, bimestrais, trimestrais, dos cinco primeiros meses e semestre.

Só como exemplo, nesse mesmo período, em 2013, a hidrelétrica somava 72,3 milhões de MWh; em 2012, 72,9 milhões de MWh; em 2008, 69,9 milhões de MWh; e em 2000, 67 milhões de MWh. Foram os quatro melhores anos de operação da usina.

Nenhuma outra usina no mundo produziu tanta energia limpa e renovável no planeta. Desde o início do funcionamento da usina, em maio de 1984, a produção já chega a 2,388 bilhões de MWh. Essa quantidade toda daria para atender o consumo de energia elétrica da terra por 40 dias.

(Redação - Agência IN)