Irani tem Ebitda ajustado de R$ 55,6 milhões

  •  
Irani tem Ebitda ajustado de R$ 55,6 milhões Foto: Divulgação

A Irani Papel e Embalagem anunciou que fechou o 3º trimestre de 2020 com receita líquida de R$ 261,4 milhões, aumento de 9,4% quando comparada ao mesmo período de 2019 e alta de 8,5% diante do 2º trimestre deste ano, principalmente em função do aumento do volume de vendas do segmento Embalagem de Papelão Ondulado e também do aumento de preços médios no período, aliados à valorização do Dólar e do Euro em relação ao Real nas vendas para o mercado externo.

O volume de vendas do segmento Embalagem de Papelão Ondulado aumentou 12,7% na comparação com o 3º trimestre de 2019 e teve alta de 30,1%, quando comparado ao 2º trimestre de 2020, totalizando 43,2 mil toneladas. Esse crescimento está relacionado à retomada das atividades econômicas que haviam sofrido redução em função da pandemia do coronavírus e ao aumento do consumo da população, em especial nos segmentos alimentício e de higiene e limpeza, e o expressivo aumento do e-commerce e das tele entregas que tipicamente utilizam embalagens de papel para transporte.

O segmento de Papel para Embalagens totalizou 31,9 mil toneladas, registrando estabilidade quando comparado ao 3º trimestre de 2019 e redução de 14,9% em relação ao 2º trimestre deste ano. A redução se deve principalmente em função da maior utilização do papel para embalagem na produção de embalagens de papelão ondulado, reduzindo, assim, a disponibilidade de papeis para venda.

O segmento Florestal RS e Resinas teve redução de 7,5% no volume de vendas no comparativo com o 3º trimestre de 2019 e redução de 20,2% em relação ao 2º trimestre de 2020, alcançando 3,1 mil toneladas.

O lucro bruto do 3º trimestre de 2020 apresentou aumento de 6,9% na comparação ao mesmo trimestre do ano passado e redução de 1,4% quando comparado ao 2º trimestre de 2020. O crescimento em relação ao 3º trimestre de 2019 deveu-se principalmente ao crescimento da receita líquida e à melhora das margens apresentada nos segmentos de atuação da Companhia.

No 3º trimestre de 2020, o resultado líquido foi de R$ 25,6 milhões de lucro em comparação ao lucro de R$ 15,3 milhões do mesmo período de 2019 e no 2º trimestre deste ano. Os principais impactos no resultado líquido deste trimestre foram o crescimento da receita líquida de vendas e a melhora das margens pelos aumentos de preços médios dos produtos comercializados pela Companhia. Ainda neste trimestre, houve reconhecimento de crédito de PIS e COFINS por decisão definitiva favorável, na qualidade de sucessora da empresa Indústria de Papel e Papelão São Roberto S.A. no montante de R$ 17,6 milhões.

O EBITDA ajustado no 3º trimestre de 2020 foi de R$ 55,6 milhões com margem de 21,3%, 10,4% superior ao apurado no mesmo período do ano passado de R$ 50,4 milhões, com margem de 21,1%, principalmente em função da melhor performance das margens neste trimestre, e estável quando comparado ao 2º trimestre deste ano de R$ 55,6 milhões, com margem de 23,1%.

A relação dívida líquida/EBITDA ajustado foi de 1,10 vez em 30 setembro de 2020, contra 2,94 vezes em 30 junho de 2020. A variação é devida à redução da dívida líquida pela oferta pública de ações, à geração de caixa no trimestre e aumento do EBITDA ajustado dos últimos 12 meses. Considerando excluir da dívida líquida os valores que serão recebidos nos próximos meses no montante de R$ 159,3 milhões, referentes a: i) Créditos de PIS e da COFINS no montante de R$ 115,1 milhões; ii) Venda das terras e florestas no montante a receber de R$ 4,0 milhões; iii) Venda do imóvel da Embalagem SP - Vila Maria, com saldo a receber no montante de R$ 40,2 milhões, tais ajustes resultariam na Dívida Líquida pro forma de R$ 103,7 milhões e considerando-se o EBITDA da operação continuada dos últimos 12 meses de R$ 244,1 milhões, a alavancagem pro forma seria de 0,42 vezes (2,16 vezes ao fim do 2º trimestre de 2020).

Re- IPO - Em 22 de julho, a companhia concluiu uma bem-sucedida oferta primária de 90.000.000 de ações ordinárias ao preço de R$ 4,50 cada que representa uma captação bruta de R$ 405 milhões. Os recursos captados serão investidos integralmente em um plano de expansão de aproximadamente R$ 743 milhões nos próximos 4 anos. Este conjunto de investimentos está sendo denominado Plataforma Gaia (Link de acesso). A companhia iniciou, ainda, a migração para o Novo Mercado com prazo de conclusão de até 6 meses após a oferta, mas a expectativa da administração é concluir o processo de migração para o Novo Mercado da B3 até o final de novembro de 2020.

(Redação - Investimentos e Notícias)