Intenção de Consumo das Famílias continua a crescer no Paraná

  •  
Intenção de Consumo das Famílias continua a crescer no Paraná Foto: Divulgação Intenção de Consumo das Famílias continua a crescer no Paraná

A pesquisa Intenção de Consumo das Famílias (ICF), elaborada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), e divulgada regionalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), apresentou crescimento no Paraná de 3,5% entre os meses de agosto e setembro de 2016. O índice ficou em 87,8 pontos, 1% de queda na relação com setembro de 2015.

Para que a intenção de consumo seja considerada positiva, o ideal é que o indicador esteja acima de 100 pontos. Porém, a pontuação da ICF vem apresentando reação desde o mês de julho, quando era de 80 pontos.

A intenção de consumo nacional, que atingiu 72,1 pontos, está abaixo do indicador paranaense, mas também segue a tendência de elevação verificada no Paraná. Em agosto, o indicador nacional era de 69,3 pontos, uma alta de 4,1% e elevação de todos os indicadores da pesquisa. Este é o maior crescimento mensal nacional desde 2010. Já na comparação com setembro de 2015, o índice nacional sofreu queda de 9,6%.

Entre os indicadores medidos pela pesquisa, o que aponta a perspectiva profissional do paranaense apresentou reação positiva de 16% com relação a setembro do ano passado, e de 0,7% quando comparado ao mês de agosto.

O momento para compras de produtos duráveis e a perspectiva de consumo são os itens com as maiores altas na comparação com agosto, de 10% e 23% respectivamente. O nível de consumo atual (que investiga se as famílias consideram estar comprando mais, menos ou igual ao ano passado) apontou baixa de 12% na comparação com setembro de 2015, e de 1% na comparação com agosto deste ano.

Para os demais estados brasileiros, o nível de consumo atual foi o que apresentou maior impacto negativo em setembro, apontando retração de 22,5% na variação anual. Na variação mensal, houve crescimento de 4,9%.

(Redação - Agência IN)