Índice de Expansão do Comércio cresce 0,8% em janeiro e atinge 99,7 pontos

  •  
Índice de Expansão do Comércio cresce 0,8% em janeiro e atinge 99,7 pontos Foto: Divulgação Índice de Expansão do Comércio cresce 0,8% em janeiro e atinge 99,7 pontos

Em janeiro, o Índice de Expansão do Comércio (IEC) - pesquisa realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) - registrou crescimento de 0,8% em relação a dezembro, ao passar de 98,9 para 99,7 pontos. Após cinco altas seguidas contra o mês imediatamente anterior, o IEC caiu 0,5% (na margem de erro) em dezembro, mas voltou a subir em janeiro. Houve, aparentemente, um ajuste após muitas altas seguidas, mas isso não parece ter sido uma virada ou mudança de humor.

De acordo com a FecomercioSP, as boas perspectivas parecem permanecer como o foco dos empresários do varejo e de outros setores econômicos, que se recuperam com mais vigor, a exemplo da indústria automobilística.

Em 2017, o indicador de Expansão cresceu em média 22% em relação a 2016 e 17,1% na comparação com janeiro do ano anterior, quando o índice registrava 85,1 pontos.

A Propensão a Contratar teve aumento de 11,9% em relação ao mesmo mês do ano passado, ao passar de 104,8 para os atuais 117,3 pontos. No entanto, no comparativo mensal, teve leve queda de 0,3%.

O Nível de Investimento das Empresas (que sinaliza se o empresário está ou não disposto a investir em novas instalações ou equipamentos) registrou 82,1 pontos, 25,6% acima do que era verificado em janeiro do ano passado e 2,4% maior que o mês de dezembro de 2017, quando os resultados eram de 65,4 e 80,2 pontos, respectivamente. Apesar de ainda estar abaixo dos 100 pontos, o resultado do mês é o melhor desde fevereiro de 2015. Segundo a assessoria econômica da FecomercioSP, se a economia de fato decolar neste ano, a tendência é de que esse indicador ainda cresça significativamente, subindo mais 10 pontos porcentuais (p.p.), ou 20 p.p. em relação ao atual patamar.

A Federação já projetava em boletins passados e agora já se vê que os investimentos devem ganhar força em 2018. Esse movimento deve ser a tônica que pode mudar de forma mais definitiva os rumos da economia ao fim deste ano, se não houver grandes surpresas ou mudanças de rumo da política econômica e suas perspectivas em virtude das eleições.

(Redação - Investimentos e Notícias)