Indicadores da Pecuária crescem no 2º trimestre de 2019

  •  
Indicadores da Pecuária crescem no 2º trimestre de 2019 (Foto: Pexels) Indicadores da Pecuária crescem no 2º trimestre de 2019

No 2º trimestre de 2019, as principais atividades da pecuária cresceram em relação ao mesmo período de 2018: houve altas no abate de bovinos (3,5%), de suínos (5,2%) e o de frangos (3,4%), bem como na aquisição de leite (6,9%) e de couro (1%), segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No 2º trimestre de 2019, foram abatidas 8,04 milhões de cabeças de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária. Essa quantidade foi 3,5% superior à obtida no 2° trimestre de 2018, período em que foi deflagrada a paralisação dos caminhoneiros, e 1,4% acima da registrada no trimestre imediatamente anterior.

No ranking das UFs, Mato Grosso continua liderando o abate de bovinos, com 17,8% do total nacional, seguido por Mato Grosso do Sul (11,4%) e São Paulo (10,1%).

No 2º trimestre de 2019 foram abatidas 11,39 milhões de cabeças de suínos, representando aumentos de 5,2% em relação ao mesmo período de 2018 e de 0,9% na comparação com o 1° trimestre de 2019. Foi o melhor 2° trimestre da série histórica iniciada em 1997, fortalecido por desempenho recorde para meses de abril e maio. Já a queda de 12,1% registrada em junho de 2019 em relação a 2018 deveu-se aos efeitos da greve dos caminhoneiros deflagrada em maio de 2018, que postergou para o mês seguinte parte da produção não realizada.

Além disso, foram abatidas 1,42 bilhão de cabeças de frangos. Houve aumento de 3,4% na comparação com o mesmo período de 2018 e queda de 0,9% em relação ao trimestre imediatamente anterior. O crescimento na comparação anual também se deve a uma base de comparação mais baixa, devido à greve dos caminhoneiros ocorrida em 2018.

No 2º trimestre de 2019, a aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (Federal, Estadual ou Municipal) foi de 5,85 bilhões de litros, equivalente a um aumento de 6,9% em relação ao 2° trimestre de 2018, e a uma queda de 5,8% em comparação ao trimestre imediatamente anterior. A série histórica, iniciada em 1997, mostra a sazonalidade do setor leiteiro: os menores índices anuais de captação costumam ocorrer nos 2° trimestres, devido ao período de entressafra nas principais bacias leiteiras. 

Já os curtumes investigados pela Pesquisa Trimestral do Couro – aqueles que efetuam curtimento de pelo menos 5.000 unidades inteiras de couro cru bovino por ano – declararam ter recebido 8,39 milhões de peças de couro. Esse total, representa um aumento de 1,0% em relação ao adquirido no 2° trimestre de 2018 e decréscimo de 0,9% frente ao 1° trimestre de 2019.

Por fim, foram produzidas 942,45 milhões de dúzias de ovos de galinha no 2º trimestre de 2019: 7,2% acima do apurado no 2º trimestre de 2018 e mais 1,9% em relação ao trimestre imediatamente anterior. Considerando a série histórica da pesquisa, iniciada em 1987, a produção foi recorde, superando o pico anterior obtido no 4° trimestre de 2018 quando foram produzidas 941,42 milhões de dúzias.

(Redação – Investimentos e Notícias)