IFECAP aponta melhora nas expectativas dos comerciantes paulistas para os próximos meses

  •  
IFECAP aponta melhora nas expectativas dos comerciantes paulistas para os próximos meses Foto: Divulgação IFECAP aponta melhora nas expectativas dos comerciantes paulistas para os próximos meses

O IFECAP – Índice FECAP de Expectativas nos Negócios registrou em maio 77,32 pontos na série com ajuste sazonal, o que representa um aumento de 6,2% quando comparado com o mês anterior. Em relação a igual período de 2015, o índice acumulou retração de 20,4%. O avanço do indicador reforça a percepção de que a troca do Governo Federal pode ter injetado expectativas positivas entre as empresas varejistas do Estado de São Paulo.

Embora o nível do índice continue em patamares historicamente baixos, pela primeira vez desde 2014 o indicador geral do IFECAP apresentou duas elevações consecutivas. O Índice-Momento Atual, que capta a situação atual dos negócios, manteve-se praticamente estável (0,1%) na comparação com abril de 2016, influenciado pelo Índice-Momento Atual Vendas (-10,4%), pelo Índice-Momento Atual Encomendas (10,9%) e pelo Índice-Momento Atual Situação dos Negócios (0,4%). Em relação ao mesmo período do ano passado, o Índice-Momento Atual registrou queda de 32,6%.

As expectativas para o próximo trimestre, captadas pelo Índice-Futuro, apresentaram alta de 12,9%, com 99,03 pontos na série com ajuste sazonal. Houve avanço no Índice-Futuro Vendas (15,1%) e no Índice-Futuro Encomendas (10,5%). Na comparação com igual período de 2015, o Índice-Futuro caiu 3,8%.

Considerando o porte da empresa, as expectativas pioraram em relação ao mês anterior entre as médias empresas, mas melhoraram entre micro, pequenas e grandes empresas. Do ponto de vista regional, as expectativas caíram na capital e subiram no interior.

Composto pela compilação de informações sobre as empresas do comércio varejista paulista, o IFECAP considera o desempenho atual das vendas a clientes e das encomendas a fornecedores, bem como a avaliação geral da situação atual do negócio. O índice avalia ainda informações sobre as expectativas dos empresários em relação às vendas e encomendas para os próximos três meses.

(Redação - Agência IN)