IACE registra 4ª alta consecutiva, aponta FGV

IACE registra 4ª alta consecutiva, aponta FGV Foto: Divulgação IACE registra 4ª alta consecutiva, aponta FGV

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil, divulgado pelo FGV/IBRE e pelo The Conference Board (TCB), registrou a quarta alta consecutiva ao variar 2,5%, em maio, alcançando 93,9 pontos (2010 = 100). O resultado segue-se a avanços de 0,9%, em abril, e 1,0%, em março. Dos oito componentes, seis contribuíram positivamente para o índice em maio: a série de SWAP 360 invertida; os Índices de Expectativas das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor; o Índice de Termos de Troca; e o Índice de Produção Industrial de Bens de Consumo Duráveis.

“A estabilidade do ICCE combinada à quarta elevação consecutiva do IACE aponta um estancamento da tendência de queda no nível de atividade”, afirma Paulo Picchetti, Economista da FGV/IBRE. “As condições políticas continuam fundamentais para avaliar se a tendência recente do IACE efetivamente sinaliza uma reversão do ciclo econômico no médio prazo”, acrescenta Picchetti.

O Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE) do Brasil, também elaborado pelo FGV/IBRE e pelo TCB, que mensura as condições econômicas atuais, apresentou estabilidade em maio, em 97,9 pontos (2010 = 100). O Indicador também havia ficado estável em abril, após recuar 0,1% em março.

O Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil. Cada um deles vem se mostrando individualmente eficiente em antecipar tendências econômicas. A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados “ruídos”, colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada.

(Redação - Agência IN)