IACE recua 0,9% em abril

IACE recua 0,9% em abril (Foto: Divulgação) IACE recua 0,9% em abril

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil, divulgado pelo FGV/IBRE e pelo The Conference Board, recuou 0,9% em abril, atingindo a marca de 90,3 pontos (2010=100). O resultado segue-se a recuos de 1,1% em março e de 1,4% em fevereiro. Os índices de termos de troca, de expectativas da indústria e de quantum de exportações contribuíram negativamente para o resultado de abril.

"O IACE para o Brasil continuou sua tendência de queda em abril, embora a sua taxa mensal de declínio tenha sido moderada", disse Paulo Picchetti, economista da FGV/IBRE . "No entanto, apesar desta ligeira moderação, o persistente enfraquecimento dos principais componentes do indicador continua a sugerir que a rápida deterioração da atividade econômica brasileira não será revertida tão cedo."

O Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE) do Brasil, também elaborado pela FGV/IBRE e pelo The Conference Board, que mensura o nível atual de atividade econômica, permaneceu inalterado em abril, registrando a marca de 104,0 pontos (2010=100). O resultado segue-se aos recuos de 0,1% em março e 0,6% em fevereiro. Três dos seis componentes contribuíram positivamente para o índice de abril.

O Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil. Cada um deles vem se mostrando individualmente eficiente em antecipar tendências econômicas. A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados “ruídos”, colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada.

(Redação – Agência IN)