Grupo Emirates registra lucro de US$ 631 milhões

  •  
Grupo Emirates registra lucro de US$ 631 milhões Foto: Divulgação

O Grupo Emirates anunciou hoje seu 31º ano consecutivo de lucro e expansão constante dos negócios.
Divulgado hoje em seu Relatório Anual de 2018-2019, o Grupo Emirates registrou um lucro de AED 2,3 bilhões (US$ 631 milhões) no ano fiscal encerrado em 31 de março de 2019, uma queda de 44% em relação ao ano passado. A receita do grupo alcançou AED 109,3 bilhões (US$ 29,8 bilhões), um aumento de 7% em relação aos resultados do ano passado. O saldo em caixa do Grupo foi de AED 22,2 bilhões (US$ 6,0 bilhões), uma queda de 13% em relação ao ano anterior, principalmente devido a grandes investimentos no negócio, incluindo aquisições significativas e pagamento do dividendo de AED 2 bilhões (US$ 545 milhões) do ano passado.

Em linha com o lucro total, o Grupo declarou um dividendo de AED 500 milhões (US$ 136 milhões) para a Investment Corporation of Dubai para 2018-2019.

O Sheikh Ahmed bin Saeed Al Maktoum, Presidente e Diretor Executivo da Emirates Airline e do Grupo, disse: "2018-2019 foi difícil, e nosso desempenho não foi tão forte quanto gostaríamos. Os preços mais altos do petróleo e a alta do dólar norte-americano corroeram nossos ganhos, mesmo quando a concorrência se intensificou em nossos principais mercados. O aumento na demanda global de carga aérea do ano anterior parece ter entrado em marcha à ré, e também vimos a demanda de viagens enfraquecer, particularmente em nossa região, impactando tanto a dnata quanto a Emirates.

O presidente ressaltou que "cada ciclo de negócios é diferente e continuamos a trabalhar de forma inteligente e árdua para enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades. Nosso objetivo sempre foi construir um negócio lucrativo, sustentável e responsável, baseado em Dubai, e esses princípios continuam a nortear nossas decisões e investimentos. Em 2018-2019, a Emirates e a dnata registraram nosso 31º ano consecutivo de lucro, com crescimento em todo o negócio, e investiram em iniciativas e infraestrutura que garantirão nosso sucesso futuro".

Em 2018-2019, o Grupo investiu coletivamente AED 14,6 bilhões (US$ 3,9 bilhões) em novas aeronaves e equipamentos, na aquisição de empresas, instalações modernas, nas mais recentes tecnologias e iniciativas de pessoal, um aumento significativo em relação ao investimento do ano passado de AED 9,0 bilhões (US$ 2,5 bilhões).

Em fevereiro, a Emirates anunciou um compromisso para a compra de 40 A330-900 e 30 A350-900 estimado em US$ 21,4 bilhões, com preços tabelados, em um acordo assinado com a Airbus, e que serão entregues a partir de 2021 e 2024, respectivamente. A companhia aérea também receberá mais 14 entregas do A380 a partir de 2019 até o final de 2021, levando o total do A380 para 123 unidades.

Os principais investimentos da dnata durante o ano incluíram: as aquisições da Q Catering e Snap Fresh na Austrália e da 121 Inflight Catering nos EUA; a compra de ações para se tornar dona da Dubai Express, Freightworks LLC; e uma participação majoritária de 51% da Bolloré Logistics LLC, nos Emirados Árabes Unidos; a construção de novas instalações de carga e manuseio de produtos farmacêuticos na Bélgica, nos EUA, no Reino Unido, na Holanda, na Austrália, em Cingapura e no Paquistão; a aquisição da operadora de viagens alemã Tropo e uma participação majoritária na BD4travel, uma empresa que fornece soluções de TI baseadas em inteligência artificial no setor de viagens.

Em todas as suas mais de 120 subsidiárias, a força de trabalho total do Grupo aumentou em 2%, para 105.286 pessoas, representando mais de 160 nacionalidades diferentes, influenciado principalmente pelas novas aquisições da dnata e sua expansão nos negócios internacionais.

Sheikh Ahmed disse: "Em 2018-2019, fomos firmes com nossa disciplina de custos enquanto expandimos nossos negócios e aumentamos as receitas. Ao diminuir o ritmo do recrutamento de funções não operacionais e implementar novos sistemas de tecnologia e novas estruturas de trabalho, melhoramos a produtividade e retardamos o aumento dos custos de mão-de-obra".

Ele concluiu: "É difícil prever o ano à frente, mas tanto a Emirates quanto a dnata estão bem preparadas para enfrentar obstáculos, bem como para competir e ter sucesso no mercado global. Precisamos continuar fazendo o nosso máximo, e é por isso que investimos em pessoas, tecnologia e infraestrutura para nos ajudar a manter nossa vantagem competitiva. Como uma empresa responsável, também investimos recursos para apoiar comunidades, iniciativas ambientais e de conservação, além de incubar talentos e inovações que impulsionarão nossa indústria no futuro".

(Redação - Investimentos e Notícias)