Grupo BASF apresenta forte desempenho no 4T20

  •  
Grupo BASF apresenta forte desempenho no 4T20 (Foto: Divulgação) Grupo BASF apresenta forte desempenho no 4T20

"No desafiador ano de 2020, a BASF conseguiu fechar bem o ano", disse o Presidente da Junta Diretiva da empresa, Dr. Martin Brudermüller, na apresentação do Relatório de 2020 da BASF. A receita operacional (EBIT) antes de itens especiais para todo o ano de 2020 excedeu a previsão da empresa divulgada em outubro e bateu o consenso dos analistas. A BASF, portanto, divulgou seus números preliminares já em 20 de janeiro de 2021.

"Aumentamos os volumes em todas as regiões no quarto trimestre de 2020", disse Brudermüller. "Na Grande China, continuamos a ver um crescimento de volumes de dois dígitos. Os volumes de vendas aumentaram em quase todos os segmentos no último trimestre do ano", acrescentou. Para algumas linhas de produtos de commodities, como isocianatos, a BASF também foi capaz de expandir significativamente as margens. Custos fixos menores também contribuíram para o bom resultado do quarto trimestre de 2020.
Desenvolvimento de vendas e lucro do Grupo BASF no quarto trimestre de 2020

As vendas no quarto trimestre de 2020 aumentaram 8%, para € 5,9 bilhões. Os volumes aumentaram 7%. Os preços também aumentaram 7%, impulsionados principalmente pelos segmentos de Tecnologias de Superfície, Soluções para Agricultura e Materiais. Os efeitos do portfólio contribuíram com 1% e resultaram da aquisição do negócio de poliamida da Solvay. Os efeitos cambiais tiveram um impacto negativo de 7% nas vendas.

O EBITDA antes de itens especiais aumentou 15% no quarto trimestre, para € 2,1 bilhões. O EBITDA totalizou € 2,0 bilhões, em comparação com € 1,6 bilhão no quarto trimestre de 2019. O EBIT antes de itens especiais aumentou no quarto trimestre em 32%, para € 1,1 bilhão. Esse aumento foi devido principalmente a lucro significativamente maior nos segmentos de Materiais, Químicos e Soluções Industriais. Isso mais do que compensou as contribuições mais baixas de outros segmentos, bem como de Outros. Os itens especiais no EBIT totalizaram menos € 181 milhões, em comparação com menos € 263 milhões no quarto trimestre de 2019. O EBIT no quarto trimestre de 2020 aumentou 61%, para € 932 milhões.

Desenvolvimento de vendas e lucro do Grupo BASF em 2020

As vendas de € 59,1 bilhões em todo o ano de 2020 ficaram quase estáveis. Os efeitos negativos da moeda e do volume foram quase compensados por preços mais altos e efeitos positivos do portfólio.

O EBITDA antes de itens especiais foi de € 7,4 bilhões, uma queda de 11% em relação ao nível do ano anterior. O EBITDA ficou em € 6,5 bilhões, em comparação com € 8,2 bilhões em 2019. O EBIT antes de itens especiais foi de € 3,6 bilhões em todo o ano de 2020, uma queda de 23% em comparação com o ano anterior. Devido aos efeitos da pandemia, todos os segmentos registraram lucros mais baixos - com uma exceção: o segmento de Soluções Industriais atingiu o EBIT antes de itens especiais no mesmo nível do ano de 2019. O declínio dos lucros no nível do Grupo BASF foi atribuído em particular às contribuições significativamente mais baixas dos negócios upstream nos segmentos de Químicos e Materiais. A queda acentuada na demanda da indústria automotiva pesou especialmente no desenvolvimento de lucros no segmento de Tecnologias de Superfície.

O EBIT diminuiu de € 4,2 bilhões em 2019 para menos € 191 milhões em 2020. No geral, os itens especiais no EBIT totalizaram menos € 3,8 bilhões, em comparação com menos € 442 milhões em 2019. Este aumento nos encargos especiais resultou principalmente de imparidades não efetivas de caixa de ativos fixos tangíveis e ativos intangíveis no terceiro trimestre de 2020.

Fluxo de caixa do Grupo BASF em 2020

Os fluxos de caixa das atividades operacionais totalizaram € 5,4 bilhões contra € 7,5 bilhões em 2019. "Apesar dos efeitos negativos da pandemia em nossos negócios, alcançamos um fluxo de caixa livre sólido de € 2,3 bilhões em comparação com € 3,7 bilhões em 2019", disse o CFO, Dr. Hans-Ulrich Engel. Essa queda deveu-se principalmente ao menor lucro líquido e maior caixa vinculado ao capital de giro líquido. Pagamentos mais baixos feitos para ativos intangíveis e propriedade podem compensar parcialmente isso.

Dividendo proposto de € 3,30 por ação

"Um pagamento confiável de dividendos é uma prioridade para nós, mesmo em tempos difíceis", disse Brudermüller. O Conselho de Diretores Executivos e o Conselho de Supervisão da BASF irão, portanto, propor à Assembleia Anual de Acionistas uma resolução para pagar um dividendo de € 3,30 por ação. No total, a BASF planeja pagar
€ 3 bilhões aos seus acionistas, como no ano anterior. Com base no preço da ação no final do ano de € 64,72, a ação da BASF ofereceria, portanto, um alto rendimento de dividendos de 5,1%.

A BASF pagará bônus de reconhecimento apesar da queda acentuada no ROCE

O retorno sobre o capital empregado (ROCE) foi de 1,7%, em comparação com 7,7% em 2019. O EBIT, que foi o principal responsável por este declínio, foi principalmente impactado negativamente por imparidades não efetivas de caixa de € 2,9 bilhões.

Isso também tem impacto sobre a remuneração dos colaboradores relacionada ao desempenho, pois o ROCE determina sua remuneração variável. Em 2020, o ROCE estava abaixo do limite para um pagamento de bônus. Não obstante, a Diretoria Executiva decidiu pelo pagamento de um bônus como forma de reconhecimento e agradecimento. "Com este bônus, queremos reconhecer o enorme esforço feito pela equipe da BASF no ano pandêmico de 2020, que foi difícil para todos", afirmou Brudermüller. No total, a empresa vai pagar € 360 milhões em bônus.

Alcance de metas não financeiras

A BASF deseja atingir um crescimento neutro em CO2 até 2030 e manter as emissões de gases de efeito estufa de seus locais de produção e as compras de energia estáveis no nível de 2018, enquanto aumenta a produção. Em 2018, as emissões totalizaram 21,9 milhões de toneladas métricas equivalentes de CO2. Em 2020, esse número era de 20,8 milhões de toneladas métricas equivalentes de CO2. Isso representa um aumento de 3,5 por cento em comparação com o ano anterior (2019: 20,1 milhões de toneladas métricas de equivalentes de CO2). Medidas para aumentar a eficiência energética e otimizar processos, bem como reduzir os volumes de produção, resultaram na redução das emissões. No entanto, isso foi compensado em particular pela integração do negócio de poliamida adquirido da Solvay em janeiro de 2020.

Além disso, a BASF pretende gerar vendas de € 22 bilhões com produtos Accelerator - soluções que contribuem significativamente para a sustentabilidade na cadeia de valor - até 2025. Em 2020, a BASF gerou vendas de € 16,7 bilhões com produtos Accelerator. Isso representa um aumento de 11% em comparação com € 15 bilhões em vendas em 2019. A evolução positiva das vendas de Accelerator nos segmentos de Tecnologias de Superfície e Soluções para Agricultura foi a principal razão para este aumento.

Maior fortalecimento da posição na área de sustentabilidade

"Em nossa jornada para nos tornarmos mais sustentáveis, alcançamos marcos importantes em 2020", disse Brudermüller. Como parte de seu Programa de Gestão de Carbono, a BASF iniciou um reator piloto para pirólise de metano. "Este é um passo importante para a produção em grande escala de hidrogênio sem emissões de CO2 - e, a médio prazo, uma alternativa mais eficiente em termos de energia para a eletrólise da água", disse Brudermüller.

Duas unidades da BASF no Texas - Freeport e Pasadena - garantiram recentemente o acesso a energias renováveis. No geral, 19 unidades da BASF em todo o mundo são parcial ou totalmente operadas com energias renováveis.

Como parte de seu Programa de Economia Circular, a BASF lançou com sucesso os primeiros volumes comerciais de produtos "Ccycled" no mercado. Espera-se que esses volumes aumentem ainda mais este ano.

Perspectivas do Grupo BASF para 2021

A BASF espera que a economia global se recupere em 2021, após a forte desaceleração resultante da pandemia do coronavírus. No entanto, a incerteza sobre os desenvolvimentos futuros permanece excepcionalmente alta. A previsão da empresa, portanto, inclui amplas faixas para contabilizar o risco de interrupções significativas renovadas nas cadeias de abastecimento globais e os efeitos negativos associados em toda a economia. Brudermüller: "No entanto, estamos confiantes de que, sem esses impactos negativos, seremos capazes de obter lucros superiores às estimativas.

A previsão da BASF assume crescimento nas indústrias clientes, especialmente na indústria automotiva. A economia global deve ter um crescimento significativo de 4,3% em relação a 2020. A produção global de produtos químicos deve crescer 4,4%, bem acima do nível do ano anterior. A empresa prevê um preço médio de ﹩50 por barril de petróleo Brent e uma taxa de câmbio de ﹩1,18 por euro.

Com base nessas premissas, a BASF pretende aumentar suas vendas entre € 61 bilhões e € 64 bilhões. A receita operacional (EBIT) do Grupo BASF antes de itens especiais deve ficar entre € 4,1 bilhões e € 5,0 bilhões. O retorno sobre o capital empregado (ROCE) deve ficar entre 8,0% e 9,2%.

Para 2021, a BASF prevê vendas de Accelerators entre € 18 bilhões e € 19 bilhões. As emissões de CO2 da empresa devem se estabilizar entre 20,5 milhões de toneladas métricas e 21,5 milhões de toneladas métricas em 2021.

Investimentos em crescimento orgânico

Brudermüller também deu uma prévia dos investimentos futuros. Para o período de 2021 a 2025, a BASF planejou investimentos de capital totalizando € 22,9 bilhões. A região Ásia-Pacífico será responsável por 41% dos investimentos e a Europa por 39%. A BASF está planejando investimentos de € 3,6 bilhões no total em 2021.

(Redação – Investimentos e Notícias)