Grendene aumenta receita líquida em 7% no 1T18

  •  
Grendene aumenta receita líquida em 7% no 1T18 Foto: Divulgação Grendene aumenta receita líquida em 7% no 1T18

A Grendene - uma das maiores fabricantes mundiais de calçados - registrou receita líquida de R$ 545,8 milhões no 1T18, com aumento de 7% em comparação com o mesmo período de 2017. O Ebit também cresceu 9,8%, para R$120,5 milhões, tornando-se o maior Ebit já obtido pela companhia no primeiro trimestre do ano.

A geração de caixa operacional no 1T18 foi de R$ 197,5 milhões elevando o caixa líquido para R$ 1,85 bilhão e o bruto para R$ 2,05 bilhões, com aumentos de 11,7% e de 15,4%, respectivamente, versus 31 de dezembro de 2017. Com esta robusta posição de caixa, em função da grande queda nos juros o resultado financeiro caiu R$24,6 milhões (31,8 %). Com isso, o lucro líquido apresentou queda de 9,2% ante 1T17, somando R$ 156,1 milhões.

No período, houve melhora nas margens Ebit e Ebitda para 22,1% e 25%, respectivamente, com alta de 0,6 p.p cada.

A Grendene manteve a liderança nas exportações de calçados brasileiros pelo 16º ano consecutivo, sendo responsável por 36,1% dos calçados brasileiros exportados no 1T18. A receita bruta de exportações cresceu 4,9%, para R$ 157,6 milhões, enquanto no mercado interno houve alta de 7,5%, para R$ 506,1 milhões. O volume de pares destinado ao mercado nacional foi de 29,4 milhões, com crescimento de 9,7%. No total, o volume de pares produzidos pela companhia no 1T18 foi de 40,4 milhões, 6,8% maior que no primeiro trimestre de 2017.

De acordo com Francisco Schmitt, diretor de Relações com Investidores da Grendene, os resultados do 1T18 confirmam as expectativas da companhia anunciadas na última divulgação da companhia. 'Recuperação da demanda no mercado interno e resultados financeiros menores', reforça o executivo.

De acordo com Schmitt é animador ver que os resultados voltam a ser impulsionados pela demanda de seus produtos e não mais pelas altas taxas de juros. Este é um bom sinal que o mercado interno se recupera.

(Redação - Investimentos e Notícias)