GOL dobra lucro operacional no 4T17

  •  
GOL dobra lucro operacional no 4T17 (Foto: Divulgação) GOL dobra lucro operacional no 4T17

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes anunciou o resultado consolidado do quarto trimestre de 2017 e do ano de 2017. O resultado operacional no período foi lucro de R$388 milhões, representando margem operacional de 13%. Esse resultado é praticamente o dobro em relação ao 4º trimestre de 2016, com a maior margem em um quarto trimestre desde 2011. No acumulado do ano, o lucro operacional foi de R$990 milhões, 42,1% superior a 2016.

A combinação de maior demanda com otimização na precificação resultou em R$3 bilhões de receita líquida no trimestre, um incremento de 11,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. No ano de 2017, a receita foi de R$10,6 bilhões, 7,2% superior na comparação com 2016. Para 2018, a projeção é de receita líquida na ordem de R$11 bilhões.

Como resultado de uma estratégia eficiente do negócio, baseada em melhorias de indicadores operacionais e um cenário de custos controlados, a empresa relata ainda o EBITDA trimestral – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – de R$532 milhões no 4T17 (margem de 17,8%, superior aos 12% do mesmo período no ano anterior), incremento de R$212 milhões. Com estes números, a GOL atinge seis trimestres consecutivos com resultados operacionais positivos.

Neste trimestre, a geração de fluxo de caixa operacional foi forte e positiva em R$630 milhões, com uma margem de fluxo de caixa operacional de 21%, a maior desde 2011. Para o ano de 2017, a GOL teve fluxo de caixa operacional de R$1,7 bilhão (margem de 16%), superior em R$1,6 bilhão em relação a 2016.

A relação de dívida liquida (excluindo os bônus perpétuos) sobre EBITDA dos últimos doze meses foi de 3,0x no 4T17, melhor em relação ao 3T17 (3,4x) e ainda melhor em relação ao 4T16 (4,2x). 

A liquidez total, incluindo caixa, aplicações financeiras, caixa restrito e contas a receber, totalizou R$3,2 bilhões, um aumento de 51% sobre 30/09/17 e um aumento de 66% em relação à 31/12/16.

“Somos a única companhia aérea com modelo de negócio de baixo custo no Brasil e mantemos, pelo 17º ano consecutivo, essa posição, decorrente de uma frota única e padronizada, o que reverte em menores custos com tripulação, gestão inteligente e manutenção eficiente aliada a operações produtivas, com reduzida exposição a custos fixos”, afirma Paulo Kakinoff, presidente da GOL.

Operação

Em 2017, a GOL permaneceu na liderança em pontualidade de voos, atingindo o índice de 92,5% no 4º trimestre e 94,6% no ano, de acordo com a Infraero. O reflexo disso se dá na preferência do cliente. 

A companhia alcançou expressivo crescimento na demanda, com aumento de 6,2% no número de passageiros transportados. Mantendo sua tradicional disciplina quanto à precificação, a taxa de ocupação foi de 79,7%, aumento de 2,2 p.p. em relação a 2016. 

O RPK - o número de passageiros pagantes transportados por quilômetros voados- trimestral teve aumento de 8% (passando de 9,2 bilhões no 4T16 para 9,9 bilhões no 4T17). No trimestre, a utilização das aeronaves ficou em 12,4 horas por dia (5,4% superior ao 4T16), e a taxa de ocupação aumentou 3,4%, alcançando 81%.

O Yield - valor médio pago por passageiro por quilômetro voado – subiu 3,1% na comparação trimestral, resultando em RASK (receita por assento por quilômetro voado) de 24,38 centavos no 4T17, aumento de 8% em comparação ao 4T16. No ano de 2017, ele foi de 22,65 centavos, crescimento de 6,3% em relação a 2016.

A frota da companhia é de 120 aviões Boeing 737, com 119 deles em operação ao final de 2017 e um arrendado a uma empresa no exterior. O CASK total – custo por assento quilômetro voado, foi de 21,21 centavos, 1,4% superior quando comparado ao quarto trimestre de 2016. 

O CASK ex-combustível recorrente teve redução de 4,6%, reflexo da redução de material de manutenção e reparo e redução de despesas com pessoal. A GOL mantém uma vantagem de custo de 25% em relação ao seu concorrente mais próximo no Brasil.

Durante 2018, a GOL manterá foco na otimização da utilização da sua frota, quando pretende capturar ganhos de produtividade e eficiência com a incorporação dos novos 737 MAX 8 no segundo semestre do ano. 

Com isso, a empresa fortalecerá sua vantagem de custo, uma vez que em base unitária, o MAX consome da ordem de 15% menos combustível por ASK, e isso representa até 5 pontos de incremento na margem operacional (EBIT).

A proposta de valor da empresa permite continuamente a oferta das melhores tarifas e serviços do mercado. Para 2018, a expectativa é de incremento nos resultados, estimulados pelo lançamento da tarifa PROMO, que possibilitou as passagens mais baratas do mercado, a fim de atingir passageiros sensíveis a preços e que optam atualmente pelo transporte rodoviário. 

No segundo semestre de 2018, a GOL ampliará o alcance da sua malha, permitindo a ela estender essa proposta de valor na América Latina, no Caribe e em destinos no sudeste dos Estados Unidos, com a utilização dos novos 737 MAX 8.

Fortalecimento do balanço

A combinação da melhoria dos ratings de crédito da GOL, oferta bem sucedida de bonds, resgate antecipado de títulos caros e maior liquidez aumentou substancialmente a flexibilidade financeira da companhia, ao mesmo tempo em que diminuiu o seu custo médio ponderado de dívida e aumentou a maturidade média. 

Do ponto de vista financeiro, a GOL segue com a estratégia de redução do custo de dívida e melhoria do perfil de liquidez. Em dezembro de 2017, por meio da subsidiária GOL Finance, a companhia realizou com sucesso a emissão de Senior Notes no montante de US$500 milhões com vencimento em 2025 e cupom de 7% ao ano. No trimestre, a relação dívida líquida (ex-bônus perpétuos) por EBITDA UDM melhorou para 3,0x, e a liquidez total cresceu para R$3,2 bilhões.

“Durante o ano de 2017, recebemos upgrade das três maiores agências de classificação de risco de crédito corporativo. A Fitch e a S&P elevaram nossa classificação de crédito duas vezes, terminando o ano em B, com perspectiva estável, e B-, com perspectiva positiva, respectivamente. Em dezembro, a Moody's atualizou a classificação de crédito corporativo da GOL em quatro notches para B2, com perspectiva estável. Esta é uma evidência de que agora o mercado começou a reconhecer a melhora no perfil de crédito da GOL, resultante do bem sucedido plano de right-sizing e otimização da estrutura de capital que a Companhia executou nos últimos anos”, disse Paulo Kakinoff, presidente da GOL.

Experiência do Cliente

A GOL transportou no quarto trimestre deste ano 8,6 milhões de pessoas, consolidando-se não apenas como líder no número de passageiros, como também em market share no segmento doméstico (36% de acordo com a ANAC para 2017).

A companhia segue focada em oferecer as melhores opções de voo e experiência aos clientes com serviços exclusivos, aeronaves novas e modernas, e foco em alta qualidade e pontualidade. 

Cerca de 85% da frota já conta com bancos em couro ecológico, 72% com Internet a bordo e TV ao vivo, além de oferecer serviços como o selfie check-in e a diversificação dos produtos oferecidos, como o GOL+Conforto e variedade no Serviço de Bordo, com refeições e bebidas não-alcoólicas gratuitas, que atendem os mais diferentes perfis de Clientes. 

O comprometimento com o melhor atendimento também se comprova com mais uma conquista da companhia – a GOL tem o menor número proporcional de reclamações registradas na ANAC: apenas 7 para cada 100 mil passageiros transportados.

“Nossa expectativa para 2018 é continuar a impulsionar a nossa vantagem de eficiência e de tecnologia, além da incorporação das novas aeronaves Boeing 737 MAX 8 no segundo semestre de 2018. Com autonomia de voo de até 6,5 mil km, as novas aeronaves permitirão que a GOL ofereça voos sem escalas do Brasil para qualquer destino na América Latina, bem como para os nossos destinos recentemente anunciados na Flórida”, diz Kakinoff.

Em janeiro de 2018, a GOL iniciou a venda de passagens para Miami e Orlando, seus primeiros destinos nos Estados Unidos. O novo serviço utilizará o novo Boeing 737 MAX 8, e começará no dia 4 de novembro deste ano, com partidas de Brasília e Fortaleza. 

Essas cidades foram escolhidas por suas localizações privilegiadas e oportunidade de conexões com os demais destinos da GOL. Os clientes terão à disposição todo conforto e a comodidade já oferecidos nos voos da Companhia, incluindo internet e entretenimento em voo, poltronas de couro com amplo espaço para as pernas, além de refeições e bebidas gratuitas a bordo.

(Redação – Investimentos e Notícias)