Fusões e aquisições em óleo e gás têm a maior alta em 20 anos, aponta KPMG

  •  
Fusões e aquisições em óleo e gás têm a maior alta em 20 anos, aponta KPMG Foto: Divulgação

As empresas de óleo e gás realizaram, no acumulado de 2018, 46 operações de fusões e aquisições, um aumento de mais de 64% em relação ao mesmo período de 2017. O total de negócios fechados, no ano passado, foi o recorde desde 1998, quando foi iniciado pela KPMG um levantamento com 43 setores da economia brasileira.

 

A pesquisa apontou ainda que, das 46 operações de 2018, o maior número (30) foi de transações do tipo CB1, ou seja, estrangeiro adquirindo de brasileiros, uma empresa estabelecida no Brasil. As outras transações foram 13 domésticas, 1 CB3 e 2 CB4.

"Os números indicam o grande interesse dos estrangeiros em investir no petróleo do país, o maior movimento dos últimos vinte anos. Isso é resultado, principalmente, dos recentes leilões de petróleo realizados pelo governo em 2018. Houve também uma grande movimentação doméstica com empresas daqui sendo adquiridas por brasileiros. O mercado espera que esse ritmo seja mantido nos próximos anos com a previsibilidade da agenda de licitações", analisa o sócio da KPMG, Paulo Guilherme Coimbra.

Legenda:

Transações Domésticas: entre empresas de capital brasileiro

CB1: Empresa de capital majoritário estrangeiro adquirindo, de brasileiros, capital de empresa estabelecida no Brasil.

CB2: Empresa de capital majoritário brasileiro adquirindo, de estrangeiros, capital de empresa estabelecida no exterior.

CB3: Empresa de capital majoritário brasileiro adquirindo, de estrangeiros, capital de empresa estabelecida no Brasil.

CB4: Empresa de capital majoritário estrangeiro adquirindo, de estrangeiros, capital de empresa estabelecida no Brasil.

CB5: Empresa de capital majoritário estrangeiro adquirindo, de brasileiros, capital de empresa estabelecida no exterior.

(Redação - Investimentos e Notícias)