Fitch eleva ratings de debêntures do GRU Aiport

  •  
Fitch eleva ratings de debêntures do GRU Aiport (Foto: Divulgação) Fitch eleva ratings de debêntures do GRU Aiport

A Fitch Ratings removeu, hoje, a Observação Positiva e elevou os seguintes ratings da primeira e da segunda emissões de debêntures da Concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos S.A. (GRU Airport):

1ª série da 1ª emissão de debêntures, no montante de BRL75 milhões, com vencimento em março de 2025: Rating Nacional de Longo Prazo elevado para ‘BB+(bra)’ (BB mais (bra))/Perspectiva Estável, de ‘CCC(bra)’/Observação Positiva;

2ª série da 1ª emissão de debêntures, no montante de BRL75 milhões, com vencimento em junho de 2025: Rating Nacional de Longo Prazo elevado para ‘BB+(bra)’ (BB mais (bra))/Perspectiva Estável, de ‘CCC(bra)’/Observação Positiva;

3ª série da 1ª emissão de debêntures, no montante de BRL75 milhões, com vencimento em setembro de 2025: Rating Nacional de Longo Prazo elevado para ‘BB+(bra)’ (BB mais (bra))/Perspectiva Estável, de ‘CCC(bra)’/Observação Positiva;

4ª série da 1ª emissão de debêntures, no montante de BRL75 milhões, com vencimento em dezembro de 2025: Rating Nacional de Longo Prazo elevado para ‘BB+(bra)’ (BB mais (bra))/Perspectiva Estável, de ‘CCC(bra)’/Observação Positiva; e

2ª emissão de debêntures, em série única, no montante de BRL300 milhões, com vencimento em outubro de 2026: Rating Nacional de Longo Prazo elevado para ‘BB+(bra)’ (BB mais (bra))/Perspectiva Estável, de ‘CCC(bra)’/Observação Positiva.

De acordo com a Fitch, a elevação dos ratings reflete a aprovação do reescalonamento dos pagamentos da outorga fixa, aprovado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O GRU Airport recebeu aportes de BRL849 milhões em 2017 para completar o pagamento da outorga fixa devida naquele ano, assim como para antecipar BRL455 milhões das obrigações de 2018, o que atenua as pressões no caixa da companhia neste ano.

Esta ação de rating também reflete indícios de recuperação do tráfego no aeroporto, bem como as medidas adotadas pela concessionária voltadas à otimização de custos, que resultaram em um índice de cobertura da vida do projeto (PLCR) de 1,0 vez no cenário de rating da Fitch.

(Redação – Investimentos e Notícias)