Exportação de sucata registra leve alta em maio

  •  
Exportação de sucata registra leve alta em maio (Foto: Divulgação) Exportação de sucata registra leve alta em maio

As exportações de sucata de ferro e aço, matéria-prima usada na produção de aço, voltaram a crescer em maio, após dois meses de queda consecutiva. As vendas externas no mês passado atingiram 33,2 mil toneladas, um ligeiro aumento de 2,5% em relação às exportações de abril, de 32,4 mil toneladas, e de 38,3% se comparadas a maio do ano passado, quando ficaram em 24 mil toneladas. Nos primeiros cinco meses do ano, as vendas externas chegaram a 196,5 mil toneladas, 3,8% abaixo das 204,3 mil toneladas do mesmo período de 2013.  Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

De acordo com o MDCI, a receita com exportações de sucata em maio foi de US$ 16,3 milhões, um pouco acima dos US$ 14,5 milhões de abril e muito acima dos US$ 10,2 milhões em maio do ano passado. No acumulado dos primeiros cinco meses, a receita alcançou neste ano US$ 81,4 milhões.

A pequena recuperação em maio mostra um maior apetite dos países da Ásia, principais consumidores mundiais de aço, pela sucata brasileira. Na China, por exemplo, as usinas siderúrgicas do país produziram 60,2 milhões de toneladas de aço em maio, um crescimento anualizado de 7,8%, o que levou a uma maior demanda pela sucata do Brasil. Essa retomada, porém, não deve ser encarada como uma tendência para os próximos meses do ano, segundo o Instituto Nacional das Empresas de Sucata Ferrosa (Inesfa), que representa as empresas responsáveis por 47% de toda a sucata preparada no Brasil. De acordo com o Inesfa, uma recuperação mais firme das exportações de sucata vai depender de um bom desempenho da economia chinesa no decorrer deste ano.

Ainda segundo a entidade, o Brasil ainda exporta pouca sucata, cerca de 3,5% da sucata processada no país, o que corresponde a apenas 0,2% das exportações mundiais do insumo. Um volume muito reduzido em relação ao mercado interno, que se mantém abastecido pelos estoques nos pátios das empresas de comércio atacadista que garantem a oferta às siderúrgicas nacionais. Ou seja, a sucata ferrosa exportada hoje é basicamente aquela não adquirida pelas usinas brasileiras.

A sucata ferrosa é um importante insumo utilizado no processo de fabricação do aço. Atualmente, a participação da sucata na produção de aço bruto no Brasil vem oscilando entre 26% e 28%, abaixo da média mundial, que foi de 45% em 2012, informa o Inesfa. No exterior a sucata é tratada como commodity, com cotação internacional, e tem valores de 30% a 40% mais altos que no Brasil. Apesar da diferença de preço, segundo o Instituto, o Brasil exporta apenas 3,5% do volume da sucata processada pelas empresas. Os principais países exportadores de sucata são, na ordem, Estados Unidos (22,1%), Alemanha (8,9%), Holanda (5,2%), Reino Unido (7,0%) e Japão (4,9%). Juntos, os cinco países respondem por quase 50% das exportações mundiais de sucata.

(Redação – Agência IN)