Executivo da SulAmérica é eleito para Conselho da ONU

  •  
Executivo da SulAmérica é eleito para Conselho da ONU Foto: Divulgação Executivo da SulAmérica é eleito para Conselho da ONU

O Superintendente de Sustentabilidade da SulAmérica, Tomás Carmona, foi eleito membro do Conselho dos Princípios para Sustentabilidade em Seguros (PSI, em inglês), criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para evolução da sustentabilidade na indústria seguradora. O executivo foi o brasileiro mais votado no pleito deste ano.

“É uma honra integrar o conselho do PSI e contribuir com o debate voltado ao desenvolvimento sustentável desse importante segmento para a vida das pessoas. Na SulAmérica, a sustentabilidade não é um apêndice ou uma série de ações pontuais desconexas do negócio, mas sim um conceito que está presente em todas as áreas da companhia. Estamos engajados com o aprimoramento das condições econômicas, sociais e ambientais, e cientes do nosso papel na adoção e disseminação de melhores práticas corporativas para equilíbrio do mercado segurador e a proteção da sociedade brasileira”, afirma Tomás Carmona.

Tomas Carmona

Superintendente de Sustentabilidade da SulAmérica, Tomás Carmona, integrará Conselho dos Princípios para Sustentabilidade em Seguros da ONU

Entre os principais temas e debates previstos pelo conselho para os próximos anos estão estudos e ferramentas para a integração das questões socioambientais no processo de subscrição e o combate às mudanças climáticas. Também são esperadas discussões voltadas à implantação do Acordo de Paris, construção de parcerias para o avanço dos Seguros Inclusivos e a diminuição da falta de proteção por seguros na sociedade.

Signatária fundadora dos PSI desde 2012, a SulAmérica utiliza os princípios como embasamento para iniciativas em toda a estrutura da companhia a partir da definição de cinco temas estratégicos de sustentabilidade: qualidade do atendimento e dos serviços; desenvolvimento do capital humano; responsabilidade na cadeia de valor; inovação em produtos e serviços; e educação financeira e uso consciente do seguro.

(Redação - Agência IN)