Empresários do comércio estão confiantes com as vendas natalinas, mostra FecomercioSP

  •  
Empresários do comércio estão confiantes com as vendas natalinas, mostra FecomercioSP Foto: Divulgação Empresários do comércio estão confiantes com as vendas natalinas, mostra FecomercioSP

Os empresários do comércio paulistano estão otimistas para as vendas de Natal e após três anos de expectativas negativas, voltaram a acreditar em um período natalino no azul. De acordo com sondagem da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), realizada com 100 lojistas da capital paulista entre os dias 15 e 19 de dezembro, a expectativa é de crescimento de 3% nas vendas do período. É a primeira vez, desde 2012, que os comerciantes projetam um fim de ano positivo - naquele período, a expectativa foi de alta de 4%. Os lojistas que comercializam bens semiduráveis como roupas e calçados estão mais confiantes e esperam crescimento de 7% nas vendas, enquanto os empresários do setor de duráveis (eletrodomésticos, móveis, carros, etc) projetam alta de apenas 1%.

Para garantir o resultado positivo, 50% dos empresários estão realizando algum tipo de promoção para incrementar as vendas, o maior porcentual desde 2010. Destes 50%, a maioria seguirá a política de descontos especiais (68%) a fim de atrair o consumidor impactado pela crise, enquanto uma parcela de 12% optou por oferecer facilidades no pagamento parcelado sem juros. O mesmo porcentual (12%) disponibilizou ofertas especiais como promoções relâmpagos do dia, da semana ou mês.

A exemplo dos últimos anos, a expectativa dos empresários é que o consumidor compre em grande parte com o cartão de crédito (64%), enquanto 32% acredita que o pagamento à vista com dinheiro, cheque e cartão de débito esteja em segundo plano.

A sondagem aponta ainda que 22% dos entrevistados acreditam que o estoque está maior em relação ao ano passado, alta de 7 pontos porcentuais (p.p.) em relação aos 15% apurados em 2015. A FecomercioSP ressalta que, na medida em que se espera um Natal moderadamente melhor, é natural que os lojistas elevem a quantidade de demanda dos seus fornecedores.

Apesar da confiança no crescimento nas vendas, não há grandes expectativas para contratação de funcionários, afinal 86% dos empresários disseram que não contrataram funcionários temporários para o Natal, a maior porcentagem desde 2010. É importante ressaltar que, entre 2010 e 2015, a média de respostas negativas foi de 69%, ou seja, houve aumento de 17 p.p.

Com isso, apenas 14% dos empresários afirmaram que contrataram temporários e destes, 57% irá contratar até quatro funcionários. O mesmo porcentual (57%) costuma efetivar o temporário, entretanto, apesar de parecer positivo, este patamar é praticamente igual ao de 2015 e muito abaixo da média entre 2010 e 2014 que foi de 79%.

Com relação às propagandas durante o período natalino, 68% dos entrevistados afirmaram que não investiram, enquanto 30% estão fazendo alguma ação publicitária.

(Redação - Agência IN)