Embraer apresenta prejuízo líquido de R$ 467 mi no 2T18

  •  
Embraer apresenta prejuízo líquido de R$ 467 mi no 2T18 (Foto: Divulgação) Embraer apresenta prejuízo líquido de R$ 467 mi no 2T18

No 2º trimestre de 2018 (2T18), a Embraer entregou 28 jatos comerciais e 20 executivos (15 leves e cinco grandes), comparado aos 35 jatos comerciais e 24 executivos (16 leves e oito grandes) do 2T17. Além disso, a carteira de pedidos firmes (backlog) da Companhia fechou em US$ 17,4 bilhões e inclui os contratos do segmento de Serviços & Suporte.

No trimestre, o EBIT e EBITDA foram de R$ (82,8) milhões e R$ 140,4 milhões, respectivamente, levando a margens de -1,8% e 3,1%. O EBIT e o EBITDA reportados incluem o impacto negativo de um item especial, não recorrente de R$ 458,7 milhões, referente à revisão da base de custos do contrato de desenvolvimento do KC-390, em decorrência do incidente com o protótipo 001 ocorrido em maio.

O EBIT e o EBITDA ajustados do 2T18 foram de R$ 375,9 milhões e R$ 599,1 milhões, respectivamente e excluem o impacto da revisão da base de custos do KC-390. Por sua vez, as margens EBIT e EBITDA ajustadas foram de 8,3% e 13,2%, respectivamente. No acumulado do primeiro semestre de 2018 (1S18), as margens EBIT e EBITDA ajustadas foram de 6,0% e 11,5%, respectivamente, dentro das estimativas da Embraer para 2018 de margens ajustadas EBIT entre 5% e 6% e EBITDA entre 10% e 11%.

No 2T18, a Embraer apresentou Prejuízo líquido de R$ 467,0 milhões e Prejuízo por ação de R$ 0,6367. O Lucro líquido ajustado (excluindo-se impostos diferidos, contribuições sociais e itens especiais) foi de R$ 2,3 milhões e o Lucro por ação ajustado ficou em R$ 0,0031.

A Embraer gerou R$ 175,5 milhões de fluxo de caixa livre ajustado durante o 2T18 e terminou o trimestre com uma posição total de caixa de R$ 12.882,5 milhões, com uma dívida de R$ 15.663,4 milhões, resultando em uma dívida líquida de R$ 2.780,9 milhões.

Por fim, a Companhia reafirma todas as suas estimativas financeiras e de entregas para 2018, que não incluem o impacto não recorrente da revisão de base de custos do KC-390, ocorrida no 2T18.

(Redação – Investimentos e Notícias)