Em novembro, vendas do varejo crescem 2,0%, diz IBGE

Em novembro, vendas do varejo crescem 2,0%, diz IBGE Foto: Divulgação Em novembro, vendas do varejo crescem 2,0%, diz IBGE

Em novembro de 2016, o comércio varejista avançou 2,0% sobre o mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, interrompendo sequência de quatro taxas negativas. 

Nessa mesma comparação, a variação na receita nominal foi de 0,9%. Para o volume de vendas, a variação positiva em novembro, ao compensar parte da perda acumulada de 2,3% entre julho e outubro, contribuiu para interromper a trajetória de queda no indicador de média móvel (0,3%) observada desde maio de 2016. Para esse mesmo indicador, a variação da receita nominal permanece positiva em 0,1%.

Na série sem ajuste sazonal, no confronto com igual mês do ano anterior, o volume de vendas caiu 3,5% em relação a novembro de 2015, 20ª taxa negativa seguida nesse tipo de comparação, porém o recuo menos acentuado desde junho de 2015 (-2,7%). Assim, os resultados permanecem negativos para o volume de vendas no acumulado no ano (-6,4%) e para os últimos 12 meses (-6,5%). A receita nominal, para essas mesmas comparações, mantém-se no campo positivo, com variações de, respectivamente: 5,0%; 4,8% e 4,6%.

O comércio varejista ampliado, que inclui, além do varejo, as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, as variações sobre o mês imediatamente anterior foram positivas, com taxas de 0,6% para volume de vendas e de 0,3% para a receita nominal. Por outro lado, nas comparações que envolvem o ano anterior, o volume de vendas apresentou resultados negativos, com quedas de 4,5% em relação a novembro de 2015, recuo de 8,8% no acumulado do ano e de 9,1% no acumulado dos últimos 12 meses. A receita nominal, por sua vez, apresentou crescimento sobre novembro de 2015 (1,7%), acumulando nos períodos janeiro-novembro e nos últimos 12 meses variações de -0,6% e -0,8%, respectivamente.

Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

(Redação - Agência IN)