CVC registra prejuízo líquido de R$ 228,9 mi no 2T20

  •  
CVC registra prejuízo líquido de R$ 228,9 mi no 2T20 (Foto: Pexels) CVC registra prejuízo líquido de R$ 228,9 mi no 2T20

A CVC Brasil divulgou ao mercado os resultados do segundo trimestre de 2020 (2T20). A pandemia de Covid-19 resultou na quase total paralização das vendas e embarques da Companhia, resultando em Reservas confirmadas no Brasil de apenas R$ 176,5 milhões no 2T20, queda de 95,5% em relação ao 2T19 pro forma. As reservas confirmadas da CVC Corp, incluindo as operações na Argentina, totalizaram R$252,2 milhões no 2T20, queda de 94,7% em relação ao 2T19 pro forma.

Dado que as vendas e embarques da Companhia foram praticamente interrompidas no 2T20, a Receita Líquida para as operações no Brasil e Argentina totalizaram R$ 3,0 milhões, queda de 99,4%.

Apesar do difícil cenário, a Geração de Caixa Operacional nos primeiros 6 meses de 2020 atingiu R$ 916,1 milhões, em comparação a uma geração de caixa de R$119,4 milhões no 2T19, em função da postergação dos embarques já contratados e redução significativas das novas vendas.

No 2T20, foram embarcados aproximadamente 322 mil passageiros, uma queda de 89,4% na quantidade embarcada em relação ao 2T19 (base pro forma).

As reservas totais da CVC Brasil tiveram queda de 95,1% no 2T20 em comparação ao 2T19 pro forma, totalizando R$ 174,8 milhões. Essa queda é decorrente da desaceleração nos segmentos B2C (-98,5%) e B2B (-92,6%), decorrente da suspensão de viagens a partir de março de 2020 em função da pandemia. 

Já a Receita Líquida das operações do Brasil caiu 99,0% no 2T20 em comparação ao 2T19 pro forma, totalizando R$ 4,4 milhões, com redução de 10,4 p.p. no take-rate (margem) consolidado, que atingiu 2,5% no 2T20 em comparação a 12,9% no 2T19 pro forma. Essa piora se deu em função do impacto da pandemia de COVID-19.

As Despesas Operacionais Recorrentes da Companhia recuaram 40,0 % no 2T20 quando comparado ao mesmo período pro forma. As despesas com fee do boleto representaram um ganho de R$5,1 milhões como resultado da mudança de critério de apuração do fee que antes era apropriada no resultado no momento da venda e agora passa a ser reconhecida no momento do embarque. Considerando as despesas com boleto, a queda das Despesas Operacionais Recorrentes com fee do boleto foi de 46,7%. Esse resultado é decorrente, principalmente, da queda nas despesas com vendas e gerais e administrativas, decorrente das medidas adotadas pela Companhia para preservação de sua saúde financeira.

O EBITDA Ajustado da CVC Corp no Brasil foi negativo em R$133,9 milhões no 2T20, comparado a R$ 204,4 milhões no 2T19 pro forma. A redução no EBITDA Ajustado no trimestre é resultado principalmente da queda de 99,0% da receita líquida resultante dos efeitos da pandemia. O EBITDA reportado para as operações no Brasil foi negativo em R$ 174,1 milhões, representando uma queda de 224,9% quando comparado ao mesmo período do ano anterior pro forma. O EBITDA reportado foi negativamente impactado pelos efeitos não recorrentes relacionados a pandemia de COVID-19 no montante de R$ 31,0 milhões.

O prejuízo líquido das operações no Brasil totalizou R$ 228,9 milhões no 2T20, frente a um lucro líquido de R$ 34,5 milhões no 2T19 pro forma, fortemente impactado pela abrupta queda na receita líquida decorrente da pandemia de COVID-19. O resultado da Companhia foi impactado também por itens não recorrentes relacionados a pandemia que, juntos, somaram R$ 31,0 milhões. Ajustado por esses efeitos, o resultado do 2T20 seria um prejuízo de R$ 191,2 milhões.

Por fim, os investimentos da CVC Corp, concentrados no desenvolvimento tecnológico da Companhia, totalizaram R$ 27,1 milhões no 2T20, uma queda de aproximadamente 23,3% em relação ao 2T19 pro forma, em decorrência da suspensão de investimentos não prioritários para preservação do caixa da Companhia durante a pandemia de COVID-19.

(Redação – Investimentos e Notícias)