Crise aumenta o número de empreendedores no Brasil

  •  
Taxa de empreendedorismo é a maior em 14 anos, e quase o dobro do registrado em 2002, quando era de 20,9% Foto: Divulgação Taxa de empreendedorismo é a maior em 14 anos, e quase o dobro do registrado em 2002, quando era de 20,9%

Mesmo com o cenário atual, a crise política, a insatisfação brasileira e a alta taxa de desemprego, o brasileiro está mais disposto a arriscar e criar o próprio negócio. Um em cada seis brasileiros em idade produtiva é empreendedor, um dos mais altos índices do mundo, na frente de países como Estados Unidos, Argentina, entre outros.

 

Muitos desempregados estão encontrando no e-commerce, por exemplo, uma maneira de conquistar a estabilidade e exercitar a mente. Já outros estão dispostos a largar o emprego com bom salário e plano de carreira para empreender e tirar sua ideia do papel.

No caso da empreendedora Sabrina Nunes não foi diferente, ela sentia necessidade de um e-commerce especializado em joias contemporâneas e foi assim que nasceu a Francisca Joias. Sabrina cursava engenharia, abandonou a carreira tradicional e investiu em um negócio. “Quando me senti deslocada fazendo coisas que não queria, resolvi empreender e hoje motivo outras pessoas a fazerem o mesmo”, menciona a CEO da Francisca Joias.

O e-commerce da rede Francisca Joias está no mercado desde 2012 e abriu oportunidades para 475 revendedoras ao longo desse tempo. São mulheres que complementam a renda ou que dedicam full time do seu tempo para a representação de semijoias. “A perspectiva até o fim de 2017 é termos 1200 mulheres representando a marca Francisca Joias”, explica Nunes.

Segundo o dado revelado pela pesquisa GEM (Global Entrepreneurship Monitor), patrocinada pelo SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), praticamente quatro em cada dez brasileiros adultos já possuem um negócio ou estão envolvidos com a criação de uma empresa.

No ano passado, a taxa de empreendedorismo no país foi de 39,3% segundo o estudo, o maior índice dos últimos 14 anos, e quase o dobro do registrado em 2002, quando era de 20,9%. O estudo também revela que 56% dos empreendedores que estão criando ou já abriram uma empresa identificaram uma oportunidade.

“Estamos presenciando um crescimento qualitativo, pois os empreendedores que montam um negócio por oportunidade de mercado é o dobro daqueles que decidem empreender por questões financeiras/necessidade”, menciona a empresária.

(Redação - Agência IN)