Confiança dos consumidores paulistanos cai 2,3%, aponta FecomercioSP

Confiança dos consumidores paulistanos cai 2,3%, aponta FecomercioSP Foto: Divulgação Confiança dos consumidores paulistanos cai 2,3%, aponta FecomercioSP

Diante do aprofundamento da crise e do clima de incerteza que se instalou no País em razão dos últimos desdobramentos no cenário político, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) mediu seus impactos sobre o humor dos consumidores paulistanos.

Excepcionalmente neste mês de maio, a Federação calculou o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) em dois períodos distintos. De acordo com as entrevistas feitas com 1,1 mil pessoas da capital paulista em 10 de maio (antes da delação envolvendo lideranças políticas nacionais), o ICC atingiu 101,3 pontos. Já em 25 de maio (após o evento), em uma nova coleta com mais 1,1 mil consumidores, o ICC marcou 99,0 pontos, uma queda de 2,3% em um intervalo de 15 dias.

De acordo com a tabela, observa-se que entre as duas coletas há uma evidente queda do ICC motivada pela piora da percepção dos consumidores em relação ao momento atual, o que é bastante compreensível. O Índice das Condições Econômicas Atuais (ICEA) caiu 12,1%, passando dos 75,6 pontos em 10 de maio para 66,5 pontos em 25 de maio. Já o Índice de Expectativas do Consumidor (IEC), outro componente do ICC, registrou alta de 1,8%, alcançando 120,6 pontos em 25 de maio, ante os 118,5 pontos em 10 de maio.

Segundo a assessoria econômica da FecomercioSP, o receio dos efeitos dessa crise afetou, de forma imediata, os consumidores e alterou a visão de curto prazo, dado que o impacto midiático das notícias foi bastante grande. O cenário futuro, porém, ainda é incerto e não sofreu alteração negativa. Passado o evento político, se nada mais grave acontecer, a Federação acredita que ao longo dos próximos dias ocorra uma inversão dessa posição, com as perspectivas presentes melhorando um pouco, bem como surja a percepção de que esses eventos podem comprometer o futuro da economia do Brasil.

Ainda segundo a Entidade, também são naturais movimentos mais exagerados no curto prazo e ajustes de percepção gradativos após o "susto" inicial. De qualquer forma, a FecomercioSP aponta que o momento é de espera e muita atenção, até porque é impossível prever com alguma precisão o que irá ocorrer nos próximos dias e semanas.

A divulgação do processamento completo dos dados coletados em maio e os efeitos da atual crise política sobre o humor do consumidor ocorrerá com o nome do mês de referência da divulgação no começo de junho (ICC Junho).

(Redação - Agência IN)