Confiança do consumidor segue baixa, mostra CNI

  •  
Confiança do consumidor segue baixa, mostra CNI (Foto: Divulgação) Confiança do consumidor segue baixa, mostra CNI

Após alternar variações positivas e negativas nos últimos meses, o índice nacional de expectativa do consumidor (INEC) mantém-se estável em novembro, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice mostra recuo 0,2% na comparação com outubro, para 101 pontos. 

A confiança do consumidor permanece em patamar baixo, 2,1% abaixo do registrado em novembro de 2016 e 6,6% inferior à média histórica. A manutenção do pessimismo do consumidor indica que a recuperação da demanda nos próximos meses tende a ser moderada.

A estabilidade do INEC decorre de movimentos contrários de seus componentes. De um lado, o índice de endividamento e os índices de expectativa de própria renda e de inflação mostram variações negativas na comparação com outubro. De outro, o índice de situação financeira e os índices de expectativa de desemprego e de compras de bens de maior valor registram crescimento.

O índice de endividamento registra as maiores quedas tanto na comparação com outubro (- 3,1%), como na comparação com novembro de 2016 (-6,6%). As quedas indicam uma elevação do endividamento das famílias. Os índices de expectativa de própria renda e de inflação também mostram recuo na comparação com outubro e em 12 meses, refletindo um aumento do pessimismo com a evolução futura de ambas variáveis. O índice de situação financeira, apesar do pequeno acréscimo no mês, registra queda na comparação com novembro de 2016, o que revela que a situação financeira das famílias segue delicada.

De positivo, o índice de compras de bens de maior valor mostra expectativa mais favorável para os próximos meses. Além disso, o índice de expectativa de desemprego mostra expectativas ligeiramente mais otimistas que em outubro.

(Redação – Investimentos e Notícias)