Com avanço da colheita, cotações da soja recuam

  •  
Com avanço da colheita, cotações da soja recuam (Foto: Divulgação) Com avanço da colheita, cotações da soja recuam

O clima favoreceu a colheita de soja em muitas regiões brasileiras na segunda quinzena de janeiro, principalmente em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo – as atividades também foram iniciadas em Goiás, Minas Gerais (áreas precoces) e nas regiões norte e oeste do Paraná. Com isso, os preços médios da soja em grão recuaram nas últimas semanas do mês, fazendo com que o valor médio de janeiro ficasse 3% abaixo do de dezembro/17. 

Segundo pesquisadores do Cepea, a queda nos preços domésticos se deve também à desvalorização do dólar frente ao Real, cenário que retraiu os produtores e limitou as exportações. Quanto ao ritmo de comercialização, as negociações seguem pontuais, com cautela tanto do lado comprador quanto do vendedor. Além disso, conforme a colheita avança, agentes dão prioridade ao cumprimento de contratos. 

Mesmo assim, deve haver maior interesse de venda nas próximas semanas, para pagamento das despesas de colheita. Considerando-se as médias de dezembro/17 e janeiro/18, houve queda de 3,2% para o Indicador ESALQ/BM&FBovespa da soja Paranaguá (PR) e de 3,7% para o Indicador CEPEA/ESALQ Paraná – no mês passado, as médias foram de R$ 71,83/sc de 60 kg e de R$ 67,42/sc de 60 kg, respectivamente. Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

(Redação – Investimentos e Notícias)