BTG Pactual tem lucro líquido de R$ 1,2 bilhão no 4º trimestre de 2015

  •  
BTG Pactual tem lucro líquido de R$ 1,2 bilhão no 4º trimestre de 2015 Foto: Divulgação BTG Pactual tem lucro líquido de R$ 1,2 bilhão no 4º trimestre de 2015

O lucro líquido do BTG Pactual atingiu R$ 1,2 bilhão, alta de 45% sobre o 4º trimestre de 2014. O Banco registrou receitas totais de R$ 3,5 bilhões no 4º trimestre de 2015, o que representou um crescimento de 122% em comparação com o mesmo período do ano passado e de 37% em relação ao 3º trimestre de 2015.

No acumulado de 2015, as receitas totais ajustadas somaram R$ 10,09 bilhões e o lucro líquido foi de R$ 4,6 bilhões, com altas de 50% e 35%, respectivamente, sobre 2014. O lucro líquido por unit do banco foi de R$ 1,34 no quarto trimestre de 2015 e de R$ 5,02 em 2015.

O retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE) do Banco atingiu 22,4% ao final de 2015.

Em 31 de dezembro de 2015, os ativos totais do BTG Pactual somavam R$ 266,6 bilhões, o que representou uma queda de 12% na comparação com o trimestre anterior. A estimativa do índice de Basileia para a mesma data é 15,4%.

Esses números são uma prévia dos resultados relativos ao quarto trimestre de 2015. O resultado final do período será divulgado dentro do prazo legal em conjunto com as demonstrações financeiras padronizadas, devidamente auditadas.

“A divulgação de uma prévia dos nossos resultados de 2015 na terceira semana de janeiro de 2016 tem como objetivo a transparência junto ao mercado e com os nossos clientes e investidores”, diz Persio Arida, presidente do Conselho de Administração do BTG Pactual. “Como todos sabem, tivemos um final de ano difícil, com um teste de estresse sem paralelo na história da instituição. Respondemos às dificuldades com rapidez e transparência”, complementa Arida.

O co-presidente do BTG Pactual, Marcelo Kalim, lembra que, em um intervalo de 45 dias, o Banco tomou diversas medidas importantes. “Mudamos o Management, o Conselho de Administração e a estrutura de controle acionário. Criamos um comitê independente de investigação e negociamos estrategicamente a venda de ativos. Reduzimos significativamente o uso de risco e a alavancagem do balanço. Nossa posição de liquidez ao final de 2015 era mais confortável do que no dia 24 de novembro de 2015”, diz Kalim.

O co-presidente do BTG Pactual, Roberto Sallouti, acrescenta: “Nosso modelo de partnership continua igual, alinhando os interesses dos nossos clientes aos do banco, garantindo com isto um serviço diferenciado e competitivo”, afirma Sallouti.

(Redação - Agência IN)