BODYPULSE vai investir R$ 30 milhões em estúdios de eletroestimulação muscular no Brasil

BODYPULSE vai investir R$ 30 milhões em estúdios de eletroestimulação muscular no Brasil Foto: Divulgação BODYPULSE vai investir R$ 30 milhões em estúdios de eletroestimulação muscular no Brasil

Crise é uma palavra que não existe no mundo dos bons negócios, como comprova o desempenho da BODYPULSE, primeira rede brasileira de estúdios especializados em eletroestimulação muscular, a mais nova febre do mercado fitness do país. Mesmo com a economia nacional teimando em se recuperar muito mais lentamente que o previsto, a primeira unidade da marca tem mantido a agenda lotada desde que abriu as portas na Barra da Tijuca, Rio, em abril.

A demanda carioca é tão acima da expectativa que fez com que os sócios da BODYPULSE revissem o business plan inicial para implantar os próximos três estúdios também na capital fluminense. O segundo acaba de ser inaugurado, no Shopping Esplanada, a poucos metros do primeiro, e os outros serão instalados na Zona Sul carioca. Em São Paulo, a rede chegará no começo de 2018.

Os sócios analisam ainda a entrada de investidores no negócio, diante também das várias propostas que têm recebido. “Inicialmente, projetávamos que o terceiro estúdio seria em São Paulo e que contemplaríamos em seguida outras capitais, além de cidades importantes do interior dos principais Estados. Mas a procura pelo nosso tipo de treinamento, com alta tecnologia e feito sob medida para cada cliente, tem sido tão alta no Rio que seria insensato não explorar todo o potencial do mercado carioca”, explica o sócio da BODYPULSE Leonardo de Souza.

A BODYPULSE planeja uma rede com 50 estúdios até 2020, com investimento próximo de R$ 30 milhões. “Planejamos crescer organicamente com investimento próprio num primeiro momento para depois consolidarmos uma fase de expansão por meio de franquia, mas a vinda de investidores poderá acelerar esse crescimento orgânico e estamos avaliando todo esse cenário”, ressalta Souza, acrescentando, entretanto, que a ideia é abrir para investidores quando a empresa tiver ao menos quatro unidades.

bodypulse

Souza, que decidiu empreender após longa carreira como um dos principais executivos do PageGroup no Brasil, diz que marca está no alvo de investidores porque o investimento é baixo, com rápido retorno, de 21 meses; break even point alcançado em apenas três meses; e as receitas são bem atrativas diante do baixo custo da operação. Um estúdio BODYPULSE pode faturar entre R$ 1,32 milhão e R$ 1,8 milhão por ano.

Esse resultado é possível por causa do modelo físico do negócio, o de estúdio, outra febre no mundo fitness, como comprovam as redes especializadas em pilates, entre outras que requerem um espaço menor para o desenvolvimento da atividade. Os estúdios BODYPULSE foram desenhados para ter no máximo 100 metros quadrados, o que facilita a locação de áreas em espaços valorizados nos grandes centros, onde os aluguéis são bastantes salgados, lembra Fernando Oliveira, também sócio da BODYPULSE.

“Mas o grande diferencial mesmo e que tem despertando a atenção de quem busca investir em novos negócios é o treino que a BODYPULSE oferece. A eletroestimulação muscular é uma novidade no Brasil, mas já é um sucesso na Europa. É um treino rápido, mas de alta potência, com benefícios comprovados por vários estudos científicos. É indicado para atletas de alto rendimento, mas também a pessoas que não têm tempo ou não gostam de praticar exercícios físicos”, destaca Oliveira.

O treino
Conhecida pela sigla EMS, a eletroestimulação muscular se utiliza de um equipamento que gera impulsos elétricos no praticante por meio de uma roupa especial durante a prática de uma série de exercícios. O treino é indicado para qualquer pessoa, de qualquer idade e com os mais variados estilos de vida, que desejam ampliar as possibilidades de manter uma vida saudável. Não há restrições de saúde ou de condicionamento físico.

Em apenas 20 minutos de treino por semana, cerca de 300 músculos são estimulados simultaneamente em altíssima intensidade. O esforço gerado é equivalente a uma semana de treino de força nas academias convencionais e tonifica abdômen, glúteos, braços, pernas e cintura, reduzindo a gordura corporal, a celulite e a flacidez. O treino comprovadamente diminui dores nas costas, aumenta a capacidade dos treinamentos de alta performance, melhora força, aptidão, resistência e estética corporal. Isso tudo de maneira controlada, personalizada e sem impacto para as articulações.

A BODYPULSE segue o modelo da mais famosa e tradicional rede de franquias de estúdios especializados em eletroestimulação, a alemã BodyStreet, que tem mais de 200 unidades em seu país de origem e foi responsável pela disseminação deste modelo de negócio em vários países da União Europeia, como Inglaterra, França, Espanha e Portugal.

A exemplo dos estúdios europeus e diferentemente de alguns poucos treinos de eletroestimulação muscular já oferecidos no Brasil, a BODYPULSE utiliza equipamentos com a tecnologia alemã MihaBodyTec, que detém 85% de participação no mercado mundial e pode ser encontrada em mais de 500 estúdios ou academias. É o equipamento oficialmente utilizado por atletas de alta performance, como Usain Bolt, e os jogadores do time de futebol Chelsea, além da seleção alemã de futebol. Cada estúdio BODYPULSE possui dois equipamentos da marca.

(Redação - Agência IN)