B3 registra lucro líquido recorrente de R$ 857,8 milhões no 2T2018

  •  
B3 registra lucro líquido recorrente de R$ 857,8 milhões no 2T2018 Foto: Divulgação B3 registra lucro líquido recorrente de R$ 857,8 milhões no 2T2018

A B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão (código de negociação: B3SA3) divulgou ontem (9) que no segundo trimestre de 2018 (2T18), a receita total atingiu R$1,386 bilhão no 2T18, aumento de 28,4% em relação ao mesmo período do ano anterior (2T17), com crescimento de receitas em todos os segmentos de negócio.

A B3 também reafirmou os seus orçamentos e projeções para os anos de 2018 e 2019. Mais detalhes podem ser encontradas no Fato Relevante de 10 de maio de 2018.

Destaques operacionais do 2T18: 

· No segmento BM&F, o volume médio diário (ADV) atingiu recorde histórico de 4,4 milhões de contratos, sendo 37,1% superior ao 2T17;

· No segmento Bovespa, o volume financeiro médio diário negociado (ADTV) também atingiu recorde histórico de R$12,5 bilhões, crescendo 47,3% sobre o 2T17;

· No segmento Cetip UTVM, os instrumentos de renda fixa cresceram 16,9% em relação ao 2T17, com destaque para os CDBs, com alta de 32,8% no período. O volume financeiro de novos registros de derivativos de balcão e operações estruturadas registrou alta de 32,1% na comparação com o 2T17;

· No segmento Cetip UFIN, o número de registros no SNG foi positivamente impactado pelo crescimento de 8,8% na quantidade de veículos financiados no 2T18 em comparação ao 2T17. No Sistema de Contratos, o número de inclusões foi 8% menor em relação ao 2T17, impactado pela redução do market-share da B3, que caiu de 74,6% no 2T17 para 63% no 2T18.

“No segundo trimestre de 2018, os volumes atingiram níveis recordes tanto no mercado de derivativos quanto no à vista, impulsionados, principalmente, pelo aumento da volatilidade. Tal incerteza também explica a recente recuperação nos volumes dos derivativos de balcão. Esses recordes nos levaram ao nosso melhor trimestre em termos de receita e EBITDA. Enquanto nos beneficiamos do sólido desempenho operacional, também mantivemos o foco em nossas prioridades: expansão do portfólio de produtos, melhoria dos serviços oferecidos ao mercado e estreitamento do nosso relacionamento com clientes e intermediários financeiros, bem como fortalecimento da nossa cultura corporativa”, diz Gilson Finkelsztain, presidente da B3.

(Redação - Investimentos e Notícias)