Azul registrou uma receita líquida de R$ 3 bi no 3T19

  •  
Azul registrou uma receita líquida de R$ 3 bi no 3T19 (Foto: Pexels) Azul registrou uma receita líquida de R$ 3 bi no 3T19

No 3T19, a Azul registrou uma receita líquida de R$3,0 bilhões, crescimento de 25,5% comparado com o mesmo período do ano passado,devido ao aumento de 24,9% na receita de transporte de passageiros e ao crescimento de 37,8% em outras receitas.

Os passageiros-quilômetros transportados (RPKs) aumentaram em 27,1% frente a um aumento de 26,1% na capacidade, levando a uma taxa de ocupação de 84,3%, 0,6 ponto percentual maior do que no 3T18.

Cargas e outras receitas aumentaram em 37,8% ou R$39,2 milhões principalmente devido ao aumento de 42% na receita de cargas. Adicionalmente, a nossa etapa média aumentou 4,5% no 3T19 comparado com o mesmo período do ano passado. Ajustado por esse efeito, o RASK teria aumentado 1,7% ano contra ano. 

Os custos e despesas operacionais totalizaram R$ 2,5 bilhões no 3T19, representando um aumento de 24,2% sobre o 3T18. Os custos por ASK(CASK) reduziram em1,5%, totalizando 25,44 centavos,devido principalmente ao aumento de 26,1% na quantidade de assento disponível por Km, a redução de 7,8% no preço do querosene de aviação, e à adição de aeronaves mais eficientes em nossa frota. A redução do custo unitário foi parcialmente compensada pela reoneração da folha de pagamento em 20% a partir de 1 de janeiro de 2019. Excluindo o impacto da reoneração da folha, o CASK teria reduzido 4,0%.

As despesas financeiras aumentaram 12,3%, ou R$ 33,4 milhões, devido ao aumento nas despesas de juros relacionadas com o arrendamento de aeronaves como resultado da adição líquida de 13 aeronaves em nosso balanço durante os últimos doze meses.

A Azul encerrou o trimestre com R$ 4,4 bilhões em caixa, equivalentes de caixa, aplicações financeiras circulantes e não circulantes e contas a receber, R$249,6 milhões acima do valor registrado no 3T18, representando 41% da receita dos últimos doze meses. A Companhia não possui caixa restrito e, além disso, conta com depósitos em garantia e reservas de manutenção no valor total de R$ 1,6 bilhão em 30 de setembro de 2019, que não estão incluídos em sua posição de caixa.

Os investimentos líquidos totalizaram R$ 279,1 milhões no 3T19 relacionado principalmente à aquisição de peças de reposição e a capitalização de eventos de manutenção de motores, parcialmente compensado pelos recursos recebidos do financiamento com a Overseas Private Investment Corporation (OPIC) para manutenção de motores.

Para 2019, a Companhia espera um crescimento de capacidade em torno de 20%, e continua confiante em atingir uma margem operacional em torno de 18% no ano.

(Redação - Investimentos e Notícias)