Atento apresenta os resultados do 1T15

  •  
A receita de operações contínuas aumentou 9,5% em moeda constante para $515,9 milhões de dólares, impulsionada por um crescimento combinado de 13,9% no Brasil e Américas Foto: Divulgação A receita de operações contínuas aumentou 9,5% em moeda constante para $515,9 milhões de dólares, impulsionada por um crescimento combinado de 13,9% no Brasil e Américas

A Atento S.A. (NYSE: ATTO), uma das empresas líderes mundiais em serviços de gestão de clientes e terceirização de processos de negócios (CRM / BPO), anunciou hoje seus resultados financeiros do primeiro trimestre do ano de 2015.

De acordo com Alejandro Reynal, CEO da Atento, "2015 avança bem, com progressos mensuráveis alcançados em várias frentes. Estamos muito satisfeitos com o sólido crescimento da receita e lucratividade ano-a-ano. Os investimentos da empresa caminham conforme previsto, com desempenho consistente, o que resultou em outro trimestre de novos negócios fechados, sejam com clientes novos e com os já existentes, em várias verticais de mercado”.

No primeiro trimestre de 2015, a receita foi de US$ 515,9 milhões, em relação aos US$ 561,3 milhões no mesmo período do ano anterior, o que corresponde a um aumento constante de 9,5%, excluindo a República Tcheca, cujas operações foram descontinuadas (mas uma diminuição de 8,1%), impulsionado principalmente por uma forte atuação no Brasil e no restante do continente americano, anulando grande parte da redução na região EMEA. As receitas na América Latina, incluindo países de idioma espanhol e Brasil, aumentaram 13,9% em moeda constante.

O EBITDA ajustado para o primeiro trimestre de 2015 foi de US$ 58,3 milhões, ou 11,3% da receita, em comparação a US$ 62,8 milhões, ou 11,2% da receita do primeiro trimestre de 2014, o que representa um aumento de 11,8%, mas uma diminuição de 7,2% em moeda real). O aumento do EBITDA ajustado foi atribuído principalmente ao crescimento de negócios e à eficiência operacional obtida em nossas contínuas iniciativas de expansão das margens.

O lucro ajustado foi de $14,9 milhões no quarto trimestre de 2015, em relação aos $4,5 milhões no primeiro trimestre de 2014. O lucro ajustado por ação foi de US$ 0,20 no primeiro trimestre de 2015, o que representa uma diminuição de 284,4% em moeda constante.

O fluxo de caixa livre foi de $(39,0) milhões no primeiro trimestre de 2015, em comparação a $(19,6%) milhões no mesmo trimestre do ano passado, o que representa uma diminuição de $19,4 milhões em um maior capital de giro, devido ao aumento da receita e algumas antecipações de clientes recebidas no quarto trimestre de 2014.

As receitas ajustadas trimestralmente e o EBITDA não-GAAP são medidas financeiras compatíveis com as medidas GAAP contidas nas tabelas financeiras abaixo.

Em relação às regiões, no primeiro trimestre de 2015, a receita da região Brasil foi de $264,1 milhões, comparado com $288,9 milhões no mesmo trimestre do ano anterior, o que representa um aumento de 11,8% em moeda constante (mas uma diminuição de 8,6% em moeda real), impulsionado pelo crescimento de clientes não-Telefônica. A receita da Telefônica aumentou 1,5% em moeda constante com a introdução de novos serviços no Brasil. A receita não-Telefônica aumentou 19,5% em moeda constante, impulsionada pela aquisição de novos clientes e aumento de share of wallet em diversas verticais de mercado.

O EBITDA ajustado para o primeiro trimestre de 2015 foi de $31,7 milhões, ou 12,0% da receita, em comparação a $35,6 milhões, ou 12,3% da receita, em relação ao primeiro trimestre de 2014. Excluindo alocação de custos corporativos, o EBITDA ajustado aumentou para 12,9% da receita, em comparação a 12,6% no mesmo período do ano passado. O aumento do EBITDA ajustado foi impulsionado principalmente pelo forte crescimento das receitas e pela eficiência operacional obtida em nossas contínuas iniciativas de expansão das margens.

No primeiro trimestre de 2015, a receita da Região Américas foi de $187,4 milhões, comparado com $179,1 milhões no mesmo trimestre do ano anterior, o que representa um aumento de 17,3% em moeda constante e um aumento de 4,6% na moeda real. A receita da Telefônica aumentou 20,3% em moeda constante, impulsionada pelo forte desempenho em toda a região. A receita não-Telefônica aumentou 13,9% em moeda constante, impulsionada por um forte crescimento na maioria dos mercados apoiados por novos e antigos clientes.

O EBITDA ajustado para o primeiro trimestre de 2015 foi de $23,4 milhões, ou 12,5% da receita, em comparação a $24,9 milhões, ou 13,9% da receita, em relação ao primeiro trimestre de 2014. Excluindo a alocação de custos corporativos, o EBITDA ajustado foi de 14,1% no primeiro trimestre de 2015. O aumento de custos dos novos negócios foi compensado por ganhos de eficiência e aumento de custos fixos devido ao forte crescimento de volume.

No primeiro trimestre de 2015, a receita da Região EMEA foi de $64,8 milhões, comparado com $93,3 milhões no mesmo trimestre do ano anterior, o que representa um decréscimo de 12,8% em moeda constante, excluindo a República Tcheca, e uma diminuição de 30,6% na moeda real. A receita da Telefônica diminuiu 18,0% em moeda constante, excluindo a República Tcheca.

O EBITDA ajustado para o primeiro trimestre de 2015 foi de $4,0 milhões, ou 6,2% da receita, em comparação a $5,4 milhões, ou 5,8% da receita, do primeiro trimestre de 2014. O aumento na margem de EBITDA ajustado foi impulsionado pelo impacto positivo de programas de eficiência contínuos.

Em 31 de Março de 2015, a empresa tinha caixa, equivalentes de caixa e investimentos financeiros de curto prazo que totalizaram $ 192,1 milhões, comparado com $ 218,4 milhões no mesmo período do ano passado.

Em 31 de março de 2015, a dívida líquida total com terceiros foi para $419,8 milhões, em comparação com $670,9 milhões no final do ano passado.

O EBITDA ajustado da empresa para dívida líquida com terceiros diminuiu para 1,4x em 31 de março de 2015 em relação a 2,2x em 31 de março de 2014.

Durante o primeiro trimestre de 2015, a empresa investiu $9,1 milhões, ou 1,8% das receitas, das despesas de capital, principalmente na construção de nossas centrais de atendimento e na aquisição de computadores e equipamentos de tecnologia. O total das despesas de capital de $48,7 milhões inclui $39,6 milhões relacionados com a aquisição dos direitos de licença para utilizar o Software Microsoft.

A empresa reitera sua estimativa comercial para 2015 com sua orientação divulgada anteriormente para o período de doze meses a ser encerrado em 31 de Dezembro de 2015.

Esta orientação não inclui nenhuma das aquisições ou mudanças no ambiente operacional atual, estrutura de capital e movimentos de taxas de câmbio sobre as nossas demonstrações financeiras em dólares. A empresa espera que os impactos sazonais normais que gerariam as nossas receitas trimestrais acompanhem tendências semelhantes, assim como no ano passado, com uma porção maior gravada no segundo semestre do ano.

(Redação – Agência IN)