Atacado paulista elimina 1.234 empregos formais em setembro, aponta FecomercioSP

  •  
Atacado paulista elimina 1.234 empregos formais em setembro, aponta FecomercioSP  Foto: Divulgação Atacado paulista elimina 1.234 empregos formais em setembro, aponta FecomercioSP

Em setembro, o comércio atacadista no Estado de São Paulo registrou a extinção de 1.234 empregos com carteira assinada, ante os 1.126 criados no mês de agosto e os 1.379 gerados em julho. O saldo deste mês foi resultado de 13.474 admissões e 14.708 desligamentos e é 44% mais ameno que aquele registrado em setembro de 2015 (-2.198 empregos). O atacado paulista encerrou o mês com um estoque total de 492.884 trabalhadores formais.

No saldo acumulado de janeiro a setembro de 2016 são 6.532 empregos formais a menos no atacado do Estado de São Paulo. Já nos 12 últimos meses foram extintos 14.187 empregos formais no atacado da economia paulista.

Os dados são da Pesquisa de Emprego no Comércio Atacadista do Estado de São Paulo (PESP Atacado), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base nos dados do Ministério do Trabalho e Previdência Social, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e das informações sobre movimentação declaradas pelas empresas do atacado paulista. As informações mostram o nível de emprego do comércio atacadista em dezesseis regiões e dez ramos de atividade. A FecomercioSP passou a acompanhar tais dados em fevereiro de 2016.

Das dez atividades pesquisadas em setembro, oito apresentaram queda no estoque de empregos na comparação com o mesmo mês de 2015. A maior retração foi registrada no setor de eletrônicos e equipamentos de uso pessoal, com -7,5% e que representa 4.223 vagas formais a menos. Por outro lado, produtos farmacêuticos (+423 vagas) e o atacado de energia e combustíveis (+102 vagas) apresentaram desempenho positivo.

Conforme a assessoria econômica da FecomercioSP já havia alertado em edições anteriores, a tendência é que tanto o varejo quanto o atacado devem registrar saldos positivos ou negativos, pouco significativos já que os desligamentos mensais têm sido bastante próximos às admissões. Tal realidade se altera apenas com os efeitos sazonais, como Natal e início do ano.

Ainda de acordo com a Entidade, assim como ocorre no varejo os setores que comercializam bens essenciais são os únicos a apresentar saldo positivo no acumulado dos últimos doze meses ou saldo negativo mais ameno que o resto das atividades. Por outro lado, os bens não essenciais, dependentes de crédito para aquisição, como eletrônicos, máquinas e atacado de materiais de construção ainda sofrem com redução do mercado de trabalho celetista.

A FecomercioSP reforça que com a redução das incertezas, inflação menor, juros em tendência de queda e retomada de confiança dos agentes, as vendas ao varejo devem aumentar e, consequentemente, terão efeito positivo sobre o setor atacadista. Vale ressaltar que essa recuperação acontecerá de forma lenta e gradual.

Atacado paulistano

Foram eliminados, em setembro, 172 empregos com carteira assinada no comércio atacadista da cidade de São Paulo. A ocupação formal atingiu 205.254 empregados no mês. O saldo acumulado dos últimos 12 meses ficou negativo em 7.309 empregos, o que levou à diminuição de 3,4% do estoque total de trabalhadores na comparação com setembro de 2015. Já de janeiro a setembro de 2016 foram extintas -2.450 vagas no comércio atacadista paulistano.

Das dez atividades pesquisadas nos últimos 12 meses, sete registraram queda na geração de empregos. Destaque negativo para as atividades de Eletrônicos e equipamentos de uso pessoal (-2.332) e Máquinas de uso comercial e industrial (-1.423). Por outro lado, os segmentos que criaram vagas no período foram Alimentos e Bebidas (+12), Produtos Farmacêuticos e higiene pessoal (+107) e Energia e combustíveis (+120).

(Redação - Agência IN)