As duas primeiras semanas de janeiro registram US$ 3,854 bilhões em exportações

  •  
Janeiro registra US$ 3,854 bilhões em exportações (Foto; Divulgação) Janeiro registra US$ 3,854 bilhões em exportações

Com seis dias úteis, as duas primeiras semanas de janeiro (1° a 11) tiveram exportações de US$ 3,854 bilhões (média diária de US$ 642,3 milhões) e importações de US$ 4,837 bilhões (média de US$ 806,2 milhões) resultando num saldo comercial negativo de US$ 983 milhões. Na primeira semana (1° a 4), que teve um dia útil, os embarques brasileiros ao exterior somaram US$ 393 milhões e as compras externas foram de US$ 515 milhões, com déficit de US$ 122 milhões. Já na segunda semana (5 a 11), com cinco dias úteis, teve exportações de US$ 3,461 bilhões (média de US$ 692,2 milhões) e importações de US$ 4,322 bilhões (média de US$ 864,4 milhões), o que levou a um saldo negativo de US$ 861 milhões.

Em relação à média de exportações registrada em janeiro de 2014 (US$ 728,5 milhões), as vendas externas até a segunda semana deste mês tiveram redução de 11,8%. Contribuiu para este resultado a queda de 33,2% das vendas externas de bens manufaturados, principalmente de tubos de ferro fundido, automóveis de passageiros, motores para veículos e partes, autopeças, motores e geradores elétricos. Ainda em comparação com o mesmo período de 2014, houve queda de 2,5% nas exportações de produtos básicos como minério de ferro, carne suína, arroz em grãos, fumo em folhas, carnes salgadas, carne bovina, carne de peru e soja em grão. Em relação aos semimanufaturados, foi registrado aumento de 12,4% nas exportações, principalmente de óleo de dendê em bruto, ouro em forma semimanufaturada, semimanufaturados de ferro ou aço, óleo de soja em bruto e ferro fundido.

Na comparação com dezembro de 2014 (média de US$ 795 milhões), houve retração de 19,2% nos embarques ao exterior, causada, principalmente pela queda nas vendas de manufaturados (-40,9%) e básicos (-12%). Os semimanufaturados tiveram crescimento de 12,4%.

As importações em janeiro de 2015, pela média diária (US$ 806,2 milhões), tiveram retração de 11,7% em relação a janeiro de 2014 (US$ 913,4 milhões) puxada por combustíveis e lubrificantes (-51,8%), adubos e fertilizantes (-28,4%), veículos automóveis e partes (-23,7%), equipamentos mecânicos (-20,3%) e produtos farmacêuticos (-19,4%).  Em comparação com dezembro de 2014 (média diária de US$ 781,7 milhões), houve aumento de 3,1% em função do crescimento nas vendas de aeronaves e peças (78,3%), alumínio e obras (73,2%), produtos siderúrgicos (55,6%), plásticos e obras (30,1%),  borracha e obras (23,9%) e equipamentos elétricos e eletrônicos (21,5%).

(Redação – Agência IN)