Aliansce registra lucro líquido de R$19,0 mi no 1T18

  •  
Aliansce registra lucro líquido de R$19,0 mi no 1T18 (Foto: Pexels) Aliansce registra lucro líquido de R$19,0 mi no 1T18

No primeiro trimestre de 2018, excluindo os efeitos não-recorrentes e não-caixa, o lucro líquido ajustado da Aliansce Shopping Centers foi de R$19,0 milhões, comparado a R$ 14,0 milhões no 1T17, um aumento de 36,0% yoy.

A receita bruta da Companhia, excluindo o impacto do CDU e do aluguel linear, atingiu R$ 139,5 milhões, um aumento de 2,3% sobre o 1T17, enquanto a receita líquida teve crescimento de 4,4% yoy. O comportamento da receita líquida representa uma análise mais completa da evolução dos resultados da Aliansce, uma vez que inclui o impacto total dos descontos, inclusive os que transitam entre a receita bruta e líquida (pós-faturamento).

A receita de locação totalizou R$ 97,1 milhões no 1T18, 1,1% abaixo do 1T17. No 1T18, destacaram-se os resultados do Shopping Taboão, Shopping Parangaba e Parque Shopping Maceió, que tiveram crescimentos de 8,0%, 6,8% e 5,1% no trimestre, respectivamente.

O NOI apresentou um crescimento de 6,4% no 1T18, atingindo R$ 103,8 milhões. Esse resultado de NOI também foi positivamente impactado pelo melhor desempenho do negócio de estacionamento no trimestre, e pela redução de custos operacionais de shoppings e provisões para devedores duvidosos.

O EBITDA ajustado da Companhia do 1T18 foi de R$ 86,6 milhões, com aumento de 3,5% em relação ao 1T17. O crescimento desse indicador está relacionado à redução de custos operacionais de shoppings e PDD, gerando um acréscimo de R$ 2,9 milhões de EBITDA ajustado, atingindo uma margem de 66,4%, crescimento de 122 bps yoy.

Excluindo o efeito da linearização e do CDU, o EBITDA ajustado teve um aumento de 8,1% no trimestre, atingindo R$ 83,3 milhões. O ajuste de aluguel linear e CDU deve-se ao fato de que são itens não-caixa e que, portanto, não refletem o resultado da Companhia.

A receita financeira da Aliansce atingiu R$ 9,6 milhões, uma queda de aproximadamente R$ 7,0 milhões yoy, principalmente devido ao saldo de caixa mais baixo em comparação ao 1T17. Por outro lado, as despesas financeiras da Companhia foram reduzidas em R$ 5,7 milhões no mesmo período.