Preço de aluguel de salas e conjuntos comerciais fecha abril com alta nominal de 0,16%

O preço médio de venda de imóveis comerciais encerrou abril de 2019 próximo da estabilidade, com ligeira queda de 0,06%, enquanto o preço médio de locação do segmento apresentou alta nominal de 0,16% no período. Comparativamente, a inflação medida pelo IPCA (IBGE) foi de 0,57% no último mês, enquanto o IGP-M (FGV) registrou alta de 0,92% no mesmo período. Entre as cidades monitoradas pelo Índice FipeZap Comercial, Florianópolis se destacou com a maior elevação no preço de venda (+0,20%) e de locação (+1,18%) e salas e conjuntos comerciais.

SP, Rio e Brasília registam queda de vacância no 1T19

Levantamentos da empresa de pesquisa imobiliária Buildings apontam que houve queda na taxa de vacância nos principais mercados brasileiros de imóveis corporativos, no primeiro trimestre de 2019. Em São Paulo, o mercado corporativo classe A teve queda na taxa de vacância de 1,98%, fechando o primeiro tri do ano com 17,30%, enquanto no quarto tri de 2018, a taxa do segmento era de 19,28%.

Com quinta alta consecutiva, preço médio de locação residencial supera inflação no ano

O Índice FipeZap de Locação Residencial encerrou o mês de abril de 2019 com variação nominal de +0,81% - a quinta alta consecutiva. O percentual observado no mês superou, inclusive, a inflação medida pelo IPCA/IBGE (+0,57%), impondo uma alta real do preço médio de locação de imóveis residencial no último mês (+0,23%). Entre as 11 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, Brasília foi aquela que apresentou a maior elevação de preço em abril (+2,47%), enquanto Goiânia apresentou a menor variação (+0,12%). Nenhuma capital apresentou queda nominal no preço médio de locação residencial no mês.

Taxa de vacância nos escritórios de alto padrão cai em SP

A taxa de vacância nos escritórios paulistanos de alto padrão segue a tendência de queda em relação aos últimos trimestres e atinge o índice de 18%, dado alcançado somente em 2013. É o menor resultado nos últimos cinco anos. Os dados, medidos trimestralmente pela Colliers International Brasil, revelam que as taxas mais baixas estão no Itaim Bibi e JK (ambos com 2%), Vila Olímpia (7%) e Barra Funda (9%). Já os maiores índices são encontrados em Santo Amaro (50%), Chácara Sto. Antônio (46%) e Marginal Pinheiros (29%). "Nossa previsão de redução na taxa de vacância tem se concretizado trimestre a trimestre e deve continuar assim nos próximos meses. Temos poucos empreendimentos corporativos a serem entregues nos próximos anos e isso abrirá uma janela para que os preços voltem a crescer", acrescenta Ricardo Betancourt, presidente da Colliers Brasil.

Preços de imóveis comerciais se mantêm próximos da estabilidade em março

Os preços médios de venda e locação do segmento comercial encerraram março de 2019 próximos da estabilidade, com ligeira queda de 0,08% no preço de venda e ligeira alta de 0,07%, no preço de locação. Comparativamente, a inflação medida pelo IPCA (IBGE) foi de 0,75% no último mês, enquanto o IGP-M registrou alta de 1,26% no mesmo período. Entre as cidades monitoradas pelo Índice FipeZap Comercial, Campinas se destacou com a maior elevação no preço de venda (+0,73%), enquanto Florianópolis respondeu pela maior alta no preço de locação comercial (+1,03%).

Assinar este feed RSS