IRPF 2014. Quem deve declarar?

  •  

E chegada a hora de começar a se preparar para a mordida do Leão. A Receita Federal liberou ontem o programa do Imposto de Renda 2014 e o Receitanet, programa utilizado para enviar o documento à Receita. O período para a elaboração e entrega da declaração 2014 irá de 06 de março a 30 de abril.

A Gestora da Arbor Contábil e parceira do Investmania, Meire Poza, lembra que não são todos os trabalhadores que precisam fazer a declaração de IR. Pessoa física, residente no Brasil, que recebeu em 2013 rendimentos tributáveis no ano superiores a R$ 25.661,70 precisa prestar contas junto a Receita Federal. O contribuinte que recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil ou que realizou em qualquer mês do ano-calendário a venda de bens ou direitos, em que foi apurado ganho de capital, sujeito a incidência do imposto, também precisa fazer a declaração de IR.

Meire lembra que, além de declarar os rendimentos obtidos por prestação de serviços, o contribuinte também não pode esquecer de informar à Receita Federal sobre investimentos realizados em Bolsa de Valores e outras operações que geraram lucro no ano anterior. “É sempre preciso ter em mente que, todo recurso que você recebeu, seja por trabalho, herança, rendimentos am aplicações ou loteria, precisa ser informado à Receita Federal. Alguns não são tributáveis, mas isso não desobriga o contribuinte de registrar estas transações na declaração“, ressalta Meire.

Outra dúvida recorrente dos contribuintes é sobre qual a modalidade de declaração que deve ser preenchida, a completa ou a simplificada. “O contribuinte deve ficar tranquilo em relação a esta questão, porque o próprio programa, no momento do envio da declaração, indicará ao contribuinte a opção mais vantajosa, informando o imposto a pagar ou restituir em cada modelo“, explica.

E quem perder o prazo de entrega da declaração enfrentará, problemas nas instituições financeiras e até mesmo para sair do País. “Caso o contribuinte queira abrir uma conta, solicitar empréstimo ou financiamento para a compra de imóvel ou automóvel, dificilmente conseguirá. Isso porque, a Receita identifica que a declaração não foi entregue e bloqueia o CPF desta pessoa“, alerta a gestora, lembrando ainda que ela pode passar por outros constrangimentos, inclusive, profissionais. “Se o indivíduo for aprovado em algum concurso público e não tiver prestado contas com a Receita pode perder a vaga. Mesmo no setor privado, algumas empresas exigem cópia da declaração, principalmente se a contratação envolver um cargo de confiança“, finaliza a especialista.

(Redação – Agência IN)