Dona da marca Penalty registra aumento de 14,5% no lucro líquido do 1S19

A grama está ficando mais verde no campo da Cambuci SA, detentora das marcas esportivas Penalty e Stadium. De acordo com a última divulgação de resultados apresentada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a companhia obteve aumento de 14,5% no lucro líquido em relação ao mesmo período do ano passado, atingindo o montante de R$ 7,9 milhões. Na margem bruta, o resultado também foi positivo, com aumento de 7,2%, em relação ao mesmo período de 2018.

GOL atinge receita líquida recorde de R$3,1 bi no 2T19

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. ("GOL" ou "Companhia"), (B3: GOLL4 e NYSE: GOL), a maior companhia aérea doméstica do Brasil, anuncia o resultado consolidado do segundo trimestre de 2019 (2T19). Todas as informações são apresentadas em IFRS, Reais (R$) e as comparações referem-se ao segundo trimestre de 2018 (2T18), exceto quando especificado de outra forma.

 

EDP registra lucro líquido de R$ 484,6 milhões no 1S19

A EDP, empresa que atua em todos os segmentos do setor elétrico brasileiro, registrou Lucro Líquido de R$ 484,6 milhões no primeiro semestre de 2019, um aumento de 9,7% na comparação com o mesmo período do ano passado. O EBITDA Ajustado (lucro antes de taxas, impostos, depreciação e amortização) da Companhia teve alta de 10,2% no período, somando R$ 1,2 bilhão neste primeiro semestre.

Receita do PayPal cresce 12% no 2T19

A plataforma de tecnologia global e líder de pagamentos digitais PayPal Holdings, Inc. (NASDAQ: PYPL) anunciou, no último dia 24, os resultados do segundo trimestre para o período encerrado em 30 de junho de 2019.

Lucro líquido da ABB atinge US$ 64 milhões no 2T19

A multinacional ABB apresentou um crescimento de 1% nos pedidos globais durante o 2º trimestre de 2019, em relação ao mesmo período do ano anterior. Na mesma comparação, em dólares, o faturamento aumentou 7%, e o lucro líquido da companhia foi de US$ 64 milhões, incluindo um encargo de US$ 455 milhões relacionado à venda do negócio de inversores solares. As incertezas macroeconômicas e geopolíticas não foram um empecilho para os bons resultados da empresa nos primeiros seis meses do ano. As encomendas se desenvolveram particularmente bem em toda a América do Sul, especialmente no Brasil, que viu os pedidos aumentarem 36% no 2º trimestre, e alta de 20% no semestre.

Assinar este feed RSS