Receita da capitalização atinge R$ 10,3 bi no 1S18

O segmento de Títulos de Capitalização, representado pela FenaCap (Federação Nacional de Capitalização), registrou crescimento de 5,6% entre os meses de janeiro e junho, em comparação ao mesmo período de 2017, alcançando um faturamento global de R$ 10,3 bilhões. No mesmo período, o valor relativo aos resgates parciais e finais de clientes de títulos de capitalização atingiu R$ 8,6 bilhões, um recuo de 7,4% em relação ao primeiro semestre de 2017.

Títulos públicos de longo prazo têm alta na rentabilidade

Julho foi mês dos títulos públicos de longo prazo. A rentabilidade desses papéis teve uma significativa recuperação depois da queda influenciada pela greve dos caminhoneiros, de acordo com dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). O IMA-Geral (Índice de Mercado ANBIMA), que reflete os títulos públicos em mercado, teve o melhor desempenho dos últimos seis meses, com alta de 1,41% em julho e de 3,89% no ano.

Investimentos fecham 2º trimestre com queda de 0,9%

A capacidade produtiva das empresas teve forte reação em junho e recuperou grande parte da queda ocorrida em maio em razão da paralisação dos caminhoneiros, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Intenção do empresário em investir cai pelo 2º mês consecutivo

O Índice de Expansão do Comércio (IEC), calculado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), apresentou queda de 4,4% em julho, ao passar de 99,9 pontos em junho para 95,4 pontos. Essa foi a segunda queda mensal consecutiva do indicador. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve crescimento de 2,6%, entretanto, essa variação vem se reduzindo mensalmente desde fevereiro.

Economia da Flórida chega a US$ 1 tri e atrai investidores brasileiros

Dados divulgados pela Câmara de Comércio da Flórida registram o expressivo crescimento econômico do estado americano. A soma alcançada supera U$ 1 trilhão de dólares e o crescimento do PIB foi estimado em US$ 2,74 bilhões por dia. Além do potencial turístico que o estado implementa ao longo dos últimos anos, as vantagens para abertura de novos empreendimentos e acolhimento de investimentos são razões que podem justificar este resutado positivo.

 

Indústria de fundos tem resgates líquidos de R$ 9,8 bi

A indústria brasileira de fundos de investimento registrou resgates líquidos de R$ 9,8 bilhões entre os dias 1º e 6 de julho, de acordo com as estatísticas da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). No acumulado do ano, até 6 de julho, a indústria apresenta captação líquida positiva de R$ 28,7 bilhões.

(Redação - Investimentos e Notícias)

Debêntures de infraestrutura atingem volume recorde em 2018

As debêntures de infraestrutura (regidas pela Lei 12.431) bateram recorde de emissões desde a criação, em 2011, somando R$ 9,6 bilhões no primeiro semestre deste ano. De acordo com boletim da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o total alcançado a partir de 16 operações foi quase quatro vezes maior do que o registrado entre janeiro e junho de 2017 (quando também foram realizadas 16 operações, porém com volumes menores).

Assinar este feed RSS