Como investir em fundos imobiliários em 2019

Apesar de o investimento em ações e em contratos futuros serem as opções mais desejadas por quem quer começar a investir na Bolsa de Valores, os fundos de investimento também têm uma presença forte entre investidores iniciantes e experientes.

Fundos retomam captação no terceiro trimestre com volume de R$ 24,9 bilhões

Os fundos de investimento reverteram os resgates do último trimestre, alcançando R$ 24,9 bilhões de captação líquida de julho a setembro de 2018, de acordo com dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). A alta foi puxada pela classe de renda fixa, que alcançou R$ 14,8 bilhões frente aos R$ 23,6 bilhões negativos registrados no segundo trimestre do ano.

Indústria de fundos tem resgates líquidos de R$ 9,8 bi

A indústria brasileira de fundos de investimento registrou resgates líquidos de R$ 9,8 bilhões entre os dias 1º e 6 de julho, de acordo com as estatísticas da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). No acumulado do ano, até 6 de julho, a indústria apresenta captação líquida positiva de R$ 28,7 bilhões.

(Redação - Investimentos e Notícias)

FI-FGTS tem chamada de R$ 4,85 bilhões para projetos de infraestrutura

O Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS) vai liberar R$ 4,85 bilhões para até 15 projetos de infraestrutura, prioritariamente na área de saneamento. O Comitê de Investimentos do fundo se reuniu hoje (27) em Brasília e aprovou o quarto edital da chamada pública para receber propostas de empresa para análise de investimentos.

Indústria de fundos capta R$ 57,6 bilhões até abril

Nos primeiros quatro meses do ano, a indústria brasileira de fundos ultrapassou a marca de 14 milhões de contas. No mesmo período, o volume captado pelos fundos de investimento foi de R$ 57,6 bilhões, superando a média de R$ 35,4 bilhões verificada entre os meses de janeiro e abril dos últimos quatro anos, de acordo com dados da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Ações e multimercados respondem por 84% da captação de fundos

A indústria brasileira de fundos de investimento registrou captação líquida de R$ 49,9 bilhões no primeiro trimestre. O montante é maior do que a média da captação do mesmo período nos últimos quatro anos, segundo dados divulgados pela ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). O resultado foi impulsionado pelos fundos de ações e multimercados, que juntos captaram R$ 42,1 bilhões, ou seja, 84% do total. No primeiro trimestre de 2017, esses fundos representaram 20% da captação da indústria, enquanto os fundos de renda fixa totalizaram 67%.

Fundos de Ações e Multimercados lideram captações em janeiro

As classes de ações e multimercados lideraram a captação da indústria brasileira de fundos de investimento em janeiro. A categoria de ações reverteu os resgates de R$ 3,5 bilhões registrados no primeiro mês de 2017 e apresentou ingressos líquidos de R$ 2 bilhões em 2018, de acordo com boletim da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). Nos multimercados, a diferença entre os recursos que foram aplicados e os que saíram ficou em R$ 12,5 bilhões em 2018, o que representa alta de 45,6% em relação a igual período do ano passado.

CVM proibe investimentos em criptomoedas por Fundos de Investimentos

A Superintendência de Relações com Investidores Institucionais (SIN) da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) divulgou nesta sexta-feira (12), ccomunicado direcionado a diretores responsáveis pela administração e gestão de fundos de investimento onde esclarece consultas acerca da possibilidade de investimento em criptomoedas pelos fundos regulados pela Instrução CVM 555.

  • Publicado em Bitcoins
Assinar este feed RSS