Primeira semana do ano aumenta expectativa sobre os melhores investimentos de 2019

  •  
Destaque Primeira semana do ano aumenta expectativa sobre os melhores investimentos de 2019 Foto: divulgação Primeira semana do ano aumenta expectativa sobre os melhores investimentos de 2019

Os primeiros dias de 2019 apresentaram bons números para investidores que aplicam na Bolsa de Valores, o que elevou ainda mais as boas expectativas para o andamento de investimentos ao longo do ano. O Ibovespa alcançou seu recorde histórico na terça-feira, (04/01), chegando aos 92.031 pontos e movimentando o mercado de ações.

Dessa forma, aumenta a necessidade de entender os melhores investimentos para 2019 para obter bons rendimentos e conseguir aproveitar as oportunidades que podem aparecer ao longo do ano.

A expectativa é que aconteça um movimento de crescimento da economia brasileira. O relatório Focus, divulgado pelo Banco Central na segunda-feira (07/01/2019), apresentou a expectativa do mercado financeiro para expansão da economia de 2,53% ao longo do ano.

O crescimento esperado passa, principalmente, pelas ações do novo governo, que assumiu a presidência no primeiro dia de janeiro. Economistas acreditam que o cenário pode beneficiar a economia brasileira e possibilitar o crescimento de áreas importantes como o setor bancário, de consumo e imobiliário.

Assim, investidores já começam a movimentar seus investimentos na direção desses setores, pois entendem a grande possibilidade de valorização dos títulos e ações, com a possibilidade da realização de bons negócios.

O setor bancário tende a ser beneficiado com o crescimento da economia e as ações que devem ser tomadas pelo plano de governo de Jair Bolsonaro. As reformas prometidas e discutidas nesta semana, podem favorecer a atividade financeira no país e fazer com que bancos e instituições financeiras voltem a conceder créditos aos usuários, aumentando assim seus lucros.

Neste cenário, ações de bancos na Bolsa de Valores tendem a alcançar boas valorizações em 2019 e apresentar bons rendimentos às pessoas que investem nessas instituições. Alguns gigantes do mercado bancário brasileiro, como Itaú e Bradesco, estão na B3 e podem entrar na lista de possíveis melhores investimentos de 2019.

Na semana passada, as ações desses bancos conseguiram bons números sendo responsáveis por contribuir para o recorde da B3. Ao final do pregão de terça-feira (08/01), ações do Itaú Unibanco (ITUB4) fecharam com alta de 1,27% e os papéis do Bradesco (BBDC4) terminaram com alta de 0,61% em relação ao dia anterior.

O aquecimento das atividades de instituições bancárias também favorece outro tipo de investimento: o Certificado de Depósito Bancário ou simplesmente CDB.

Esses títulos de renda fixa apresentaram ótimos desempenhos em 2018 e tendem a seguir como boas opções em 2019. Como há a expectativa de mais empréstimos e concessão de créditos, aumenta a necessidade dos bancos ofertarem esses títulos.

Esse movimento favorece a boa rentabilidade do CDB e coloca este título entre as melhores opções de renda fixa. Principalmente os títulos oferecidos por pequenas instituições financeiras, pois tendem a oferecer taxas mais atrativas.

Outro grupo de empresas que promete ser destaque em 2019 são as estatais. Na semana passada, ações da Sabesp e Eletrobras dispararam e foram responsáveis por alavancar o Ibovespa.

No dia 03/01, as ações da Eletrobras (ELET3) subiram 6,01%, após dispararem mais de 20% no dia anterior. A Sabesp também teve bons números neste dia, suas ações (SBSP3) valorizaram 7,71%.

Esta valorização se deve ao discurso e à tendência de privatizações das estatais que foi pauta do plano econômico do novo governo. Investidores esperam que estes processos sejam concretizados e que as ações dessas empresas passem figurar entre os melhores investimentos de 2019.

Para investidores, o caminho é ter atenção ao movimento do mercado financeiro e às decisões tomadas pelo novo presidente. Oportunidades podem aparecer a qualquer momento, tornando necessário um acompanhamento minucioso de tudo que acontece e pode influenciar a economia brasileira.