Carteira recomendada da Toro Investimentos para outubro de 2019

  •  
Carteira recomendada da Toro Investimentos para outubro (Foto: Pexels) Carteira recomendada da Toro Investimentos para outubro

No mês de setembro, o cenário internacional ganhou notoriedade na Bolsa brasileira, tendo em vista que os assuntos relacionados às reformas propostas pelo Governo não apresentaram avanços relevantes. Assim como a maioria índices internacionais, o Ibovespa fechou o mês com alta, amparado pela expectativa de acordo comercial entre Estados Unidos e China.

Para outubro, os analistas da Toro Investimentos acreditam que o movimento comprador observado anteriormente deva continuar, dessa vez sustentado pelas tramitações previdenciárias previstas para o início do mês. Além disso, falas menos agressivas tanto dos Estados Unidos quanto da China podem sinalizar a proximidade de um acordo em relação à guerra comercial. Dessa forma, selecionamos ativos que já apresentam uma tendência de alta consolidada além de ações que tendem a performar melhor que o Ibovespa ao longo deste mês.

As carteiras recomendadas para o mês são: EQTL3, IRBR3, RAIL3, SUZB3 e VVAR3.

A Equatorial mostra evolução dos preços desde o final de 2018, fazendo uma tendência de alta e indicando a consolidação do movimento. O fluxo comprador sempre se mostra mais forte depois de um rompimento de resistência dos preços.

Trimestre a trimestre a IRB Brasil (IRBR3) tem conseguido superar as expectativas do mercado demonstrando solidez em seus resultados, além de se manter líder no setor de resseguros. A Empresa, que já tinha boa liquidez, recentemente realizou o desdobramento de suas ações, que agora negociam no patamar de R$37,00, estimulando a atração de novos investidores.

A Rumo (RAIL3) já mostra uma boa valorização e os preços vêm sendo negociados acima da média desde o início do mês de setembro. O rompimento da região de R$24,00 demonstra que o movimento de alta observado anteriormente pode continuar no mês de outubro.

As ações da Suzano apresentaram forte desvalorização em decorrência da queda do preço da celulose no mercado internacional. Entretanto, no segundo trimestre de 2019, é esperado um cenário de recuperação dessa commodity, o que impacta positivamente os preços da Suzano.

Para finalizar, a Via Varejo (VVAR3) tem valorizado vertiginosamente desde a última divulgação de balanços. Avaliamos como positiva a mudança de controle, visto que as atividades de varejo alimentar e de eletrodomésticos possuíam pouca sinergia. As ações da Companhia sofrem uma forte queda em decorrência de um cenário de maior competição no mercado de atuação do varejo. Entretanto é possível observar uma recuperação dos preços quando o ativo conseguiu vencer a região de R$7,80, indicando que a força compradora pode prevalecer.

(Redação – Investimentos e Notícias)