Carteira recomendada da Toro Investimentos para janeiro

  •  
Carteira recomendada da Toro Investimentos para janeiro Foto: Divulgação Carteira recomendada da Toro Investimentos para janeiro

A Toro Investimentos divulgou na quarta-feira (02) sua carteira recomendada de ações para o mês de janeiro, apostando nos ativos do Banco do Brasil (BBAS3), CESP (CESP6), Magazine Luiza (MGLU3), Multiplan (MULT3) e Rumo Logística (RAIL3).

Para a corretora, o mês de dezembro fechou o ano com “gosto de quero mais”, apesar da queda na Bolsa no último mês do ano provocada pelo cenário internacional mais turbulento, que ocasionou a saída de capital estrangeiro do País nas últimas duas semanas. O Ibovespa fechou o ano com ganhos de 15%, sendo um dos melhores investimentos de 2018. A carteira recomendada da Toro fechou o ano com 39%, quase o triplo da variação do Ibovespa.

Para 2019, as atenções estão voltadas para o novo governo, o mercado está ansioso aguardando as primeiras medidas a entrarem em vigor no mandato de Jair Bolsonaro (PSL).

Para o mês de janeiro, a Corretora escolheu empresas em clara tendência de alta e setores que devem se beneficiar com o governo que se inicia.

Assim como em 2018, a Toro Investimentos manterá a mesma estratégia para 2019: escolher empresas que podem performar melhor que o Ibovespa no mês.

Estratégia Mensal

As ações do Banco do Brasil (BBAS3) conseguiram romper uma importante resistência na região de R$45,65, após algumas semanas de lateralização. O ativo segue bem avaliado em meio a bons prognósticos para o novo governo, fato que deve levar seus preços a se valorizarem.

As ações de CESP (CESP6) apresentam uma tendência de alta bem definida, com topos e fundos ascendentes e com as médias móveis positivamente inclinadas. O rompimento de resistência na região de preços de R$21,50 indica que o movimento de alta no papel poderá continuar. Aliado ao cenário técnico, o novo governo de São Paulo mais inclinado às privatizações pode ser um bom driver para a valorização do ativo.

As ações de Magazine Luiza (MGLU3) conseguiram romper a importante região de resistência em R$172,80, o faz com que o movimento de alta continue no papel. Além disso, o ativo respeita as médias e forma de topos e fundos ascendentes no gráfico, o que são fatores que nos levam a manter o papel em tendência de alta no médio prazo. Na análise de fundamentos, acreditamos na valorização de seus preços motivada pela redução dos níveis de desemprego e pela retomada do consumo.

As ações de Multiplan (MULT3) apresentam tendência de alta no médio prazo principalmente após o rompimento da resistência em R$23,80. Do ponto de vista de fundamentos, o empresariado está confiante de que o próximo governo irá focar no combate ao desemprego, o que surte efeito direto no aumento do consumo e naturalmente no fluxo de pessoas nos shoppings.

A Rumo (RAIL3) vem de um movimento corretivo após sucessivas semanas de alta bem consolidadas. Após uma pequena lateralização, o papel fechou 2018 rompendo a média móvel de 21 períodos, na região de preços de R$16,50, com um candle de grande força, sinalizando a retomada do movimento altista. De um ponto de vista fundamentalista, a Empresa segue se beneficiando dos bons números do agronegócio, principal demandante dos serviços de fretes da Rumo.

(Redação - Investimentos e Notícias)